Preenchimento da Lista de Verificação de Segurança Cirúrgica em hospitais brasileiros

Palavras-chave: Segurança do Paciente; Centros Cirúrgicos; Lista de Checagem; Fidelidade a Diretrizes.

Resumo

Objetivo: analisar as evidências científicas acerca da frequência de checagem de itens da Lista de Verificação de Segurança Cirúrgica em hospitais brasileiros. Métodos: revisão integrativa. Utilizaram-se as bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde, Medical Literature Analysis and Retrievel System Online, Índice Bibliotecário Español de Ciencias de La Salud, Base de Dados em Enfermagem, Centro Nacional de Informação de Ciências Médicas de Cuba, Cochrane Library e Cummulative Index to Nursing and Allied Health Literature. A busca ocorreu em janeiro de 2018, combinando-se os descritores: segurança do paciente, centros cirúrgicos, salas cirúrgicas, procedimentos cirúrgicos operatórios e checklist. Resultados: apesar da grande variação da frequência de checagem dos itens, a maioria apresentou baixa aferição, com média menor que 80,0%. Melhor verificação foi observada na primeira etapa do instrumento. Conclusão: a frequência de checagem mostrou-se insatisfatória, evidenciando necessidade de melhorias, alicerçadas na cultura de segurança do paciente cirúrgico. 

Referências

Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Documento de referência para o Programa Nacional de Segurança do Paciente. Brasília: Ministério da Saúde; 2014.

Trindade L, Lage MJ. A perspectiva histórica e principais desenvolvimentos da segurança do paciente. In: Sousa P, Mendes W. Segurança do paciente: conhecendo os riscos nas organizações de saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz; 2014. p.39-56.

Anderson O, Davis R, Hanna GB, Vincent CA. Surgical adverse events: a systematic review. Am J Surg. 2013; 206(2):253-62. doi: http://dx.doi.or/10.1016/j.amjsurg.2012.11.009

Mendes W, Pavão ALB, Martins M, Moura MLO, Travassos C. Características de eventos adversos evitáveis em hospitais do Rio de Janeiro. Rev Assoc Méd Bras. 2013; 59(5):421-8. doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.ramb.2013.03.002

Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Organização Mundial da Saúde. Segundo desafio global para a segurança do paciente. Cirurgias seguras salvam vidas. Rio de Janeiro: Organização Pan-Americana da Saúde; 2009.

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 529, de 1º de abril de 2013. Institui o programa nacional de segurança do paciente (PNSP). Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº36, de 25 de julho de 2013. Institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Portaria nº 2095, de 24 de setembro de 2013. Aprova os protocolos básicos de segurança do paciente. Brasília: Ministério da Saúde; 2013.

Haynes AB, Edmondson L, Lipsitz SR, Molina G, Neville BA, Singer SJ, et al. Mortality trends after a voluntary checklist based surgical safety collaborative. Ann Surg. 2017; 266(6):923-9. doi: http://dx.doi.org/10.1097/SLA.0000000000002249

Pancieri AP, Santos BP, Avila MAG, Braga EM. Safe surgery checklist: analysis of the safety and communication of teams from a teaching hospital. Rev Gaúcha Enferm. 2013;34(1):71-8. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1983-14472013000100009

Pancieri AP, Carvalho RD, Braga E. Aplicação do checklist para cirurgia segura: relato de experiência. Rev SOBECC. 2014; 1(19):26-33. doi: http://dx.doi.org/10.4322/sobecc.2014.006

Mendes KDS, Silveira RCCP, Galvão CM. Integrative literature review: a research method to incorporate evidence in health care and nursing. Texto Contexto Enferm. 2018; 17(4):758-64. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072008000400018

Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG. Reprint-preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. Phys Ther. 2009; 89(9):873-80. doi: http://dx.doi.org/10.7326/0003-4819-151-4-200908180-00135

Karino ME, Felli VEA. Enfermagem baseada em evidências: avanços e inovações em revisões sistemáticas. Cienc Cuid Saúde. 2012; 11(5):11-5. doi: http://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v10i5.17048

Giannattasio MB, Taniguchi FP. Avaliação da segurança do paciente em cirurgia cardíaca de um hospital público. Rev SOBECC. 2016; 2(3):125-31.doi:https://doi.org/10.5327/Z1414-4425201600030002

Santana HT, De Freitas MR, Ferraz EM. WHO Safety surgical checklist implementation evaluation in public hospitals in the Brazilian Federal District. J Infect Public Health. 2016; 9(5):586-99. doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.jiph.2015.12.019

Maziero ECS, Silva ABC, Mantovani MF, Cruz EDA. Adherence to the use of the surgical checklist for patient safety. Rev Gaúcha Enferm. 2015; 36(4):14-20.doi:http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2015.04.53716

Amaya MR, Maziero ECS, Grittem L, Cruz EDA. Analysis of the registration and content of surgical safety checklist. Esc Anna Nery. 2015; 19(2):246-51.doi:http://dx.doi.org/10.5935/1414-8145.20150032

Freitas MRD, Antunes AG, Lopes BNA, Fernandes FDC, Monte LDC, Gama ZADS. Avaliação da adesão ao checklist de cirurgia segura da OMS em cirurgias urológicas e ginecológicas, em dois hospitais de ensino de Natal, Rio Grande do Norte, Brasil. Cad Saúde Pública. 2014; 30(1):137-48.doi: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00184612

Carmo TG, Criado JVN, Dias BF. The implementation process of the safe surgery protocolo. Rev Cubana Enferm [Internet.] 2017 [cited 2018 Jul. 22]; 33(1). Available from: http://revenfermeria.sld.cu/index.php/enf/article/view/1028/240

Ministério da Saúde (BR). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Boletim Informativo Segurança do Paciente e Qualidade em Serviços de Saúde – Incidentes Relacionados à Assistência à Saúde-2014. Brasília: Ministério da Saúde; 2015.

Conselho Federal de Medicina. Resolução nº1931, de 17 de setembro de 2009. Aprova o Código de Ética Médica. Brasília: Conselho Federal de Medicina; 2010.

Kim RY, Kwakye G, Kwok AC, Baltaga R, Ciobanu G, Merry AF, Haynes AB. Sustainability and long-term effectiveness of the WHO Surgical Safety Checklist combined with pulse oximetry in a resource-limited setting: two-year update from Moldova. JAMA Surg. 2015; 150(5):473-9. doi: http://dx.doi.org/10.1001/jamasurg.2014.3848

Silva SM, Sousa JB. Gossipiboma pós operação abdominal é situação clínica desafiadora e sério problema médico legal. Arq Bras Cir Dig. 2013; 26(2):140-3. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202013000200015

Tavares APM, Moura ECC, Avelino FVSD, Lopes VCA, Nogueira LT. Patient safety culture from the perspective of the nursing team. Rev Rene. 2018; 19:e3152. doi: http://dx.doi.gor/10.15253/2175-6783.2018193152

Cullati S, Le Du S, Rae AC, Micallef M, Khabiri E, Ourahmoune A, et al. Is the Surgical Safety Checklist successfully conducted? An observational study of social interactions in the operating rooms of a tertiary hospital. BMJ Qual Saf. 2013; 22(8):639-46.doi: http://dx.doi.org/10.1136/bmjqs-2012-001634

Pickering SP, Robertson ER, Griffin D, Hadi M, Morgan LT, Catchpole KC, et al. Compliance and use of the World Health Organization checklist in UK operating theatres. Br J Surg. 2013; 100(12):1664-70. doi: http://dx.doi.org/10.1002/bjs.9305

Publicado
2018-10-08
Seção
Artigos de Revisão