VARIAÇÃO DISCURSIVA E ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: CONECTORES EM TEXTOS NARRATIVOS ESCRITOS

Autores

  • Maria Alice Tavares

DOI:

https://doi.org/10.36517/revletras.40.1.4

Resumo

Neste texto, mostro que pesquisas sobre variáveis discursivas são excelentes fontes de informações para o tratamento de itens discursivos nas escolas de nível básico. Os exemplos provêm de pesquisas sobre os conectores E e AÍ. Estudos sociolinguísticos (ABREU, 1992; GÖRSKI; TAVARES, 2013; FREITAG et al., 2013, entre outros) observaram problemas no uso desses conectores em textos escritos por alunos de diferentes níveis de escolaridade. Por um lado, há uma tendência de alta frequência do AÍ em textos de indivíduos em fases iniciais de escolarização. Por outro lado, há uma tendência de alta frequência do E em textos de indivíduos com maior tempo de escolarização. Com base nessas descobertas, apresento sugestões para a abordagem a conectores no ensino básico, distribuídas em três eixos: (i) experienciação e análise linguística; (ii) avaliação sociolinguística; e (ii) aplicação na produção de textos. Defendo que a adoção de um embasamento sociolinguístico para o ensino de língua portuguesa nos permite explorar com profundidade características morfossintáticas, semânticopragmáticas e estilísticas de itens discursivos.

Palavras-chave: Variação discursiva. Ensino. Conectores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-17

Como Citar

TAVARES, Maria Alice. VARIAÇÃO DISCURSIVA E ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: CONECTORES EM TEXTOS NARRATIVOS ESCRITOS. Revista de Letras, [S. l.], v. 1, n. 40, 2021. DOI: 10.36517/revletras.40.1.4. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/revletras/article/view/71451. Acesso em: 24 jul. 2024.