A natureza da alma como um intermediário

  • Hugo Filgueiras de Araújo Universidade Federal do Ceará
  • Iraquitan de Oliveira Caminha Universidade Federal da Paraíba

Resumo

O presente artigo apresenta uma reflexão acerca do discurso de Platão sobre a postulação de uma possível tese sobre a natureza da alma. O texto se dedica a elencar os argumentos do Fédon que considera a alma com uma realidade sim- ples e a fim das uma das Formas, imutáveis, em contraposição aos discursos do Timeu e do Fedro com a tese da tripartição. Concluímos que para a solução do problema Platão sugere, nas entrelinhas dos textos em questão, que é a psykhé é um intermediário (metaxú) entre as Formas e alguns atributos da sensibilidade.

Palavras-chave: Platão; Alma; Metaxú.

Biografia do Autor

Hugo Filgueiras de Araújo, Universidade Federal do Ceará

Doutor em Filosofia. Professor Adjunto da Universidade Federal do Ceará

Iraquitan de Oliveira Caminha, Universidade Federal da Paraíba

Doutor em Filosofia. Professor da Universidade Federal da Paraíba

Publicado
2014-07-01
Edição
Seção
Dossiê Filosofia Antiga