As contracondutas corporais na educação

  • Cristiane Maria Marinho Doutora e professora da UECE.

Resumo

O presente artigo, intitulado As contracondutas corporais na Educação, tem por objetivo mais amplo contextualizar a importância do corpo tanto no exercício do poder disciplinar e biopolítico, quanto nas atividades de resistência ao poder. Para tanto, a exposição foi dividida em dois momentos. O primeiro, Disciplina e biopo- lítica: exercício dos poderes modernos e contemporâneos na condução de con- dutas, caracteriza as especificidades desses poderes inserindo a explicação sobre a importância do corpo como elemento fundamental na condução de condutas. Da mesma forma, o segundo momento do artigo, Educação e poder: condutas e con- tracondutas, reflete sobre as possibilidades de resistência ao poder por intermédio da condução da vida como estética da existência, na qual a resistência passa ne- cessariamente pelo corpo, bem como desenvolve essas possibilidades de contra- condutas a partir da educação.

Palavras-chave: Corpo. Conduta. Contraconduta. Educação. Poder.

Biografia do Autor

Cristiane Maria Marinho, Doutora e professora da UECE.

Professora da UECE, doutora em Educação, doutoranda em Filosofia UFG.

Referências

CASTRO, Edgardo. Vocabulário Foucault: um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Tradução Ingrid Müller Xavier; revisão técnica Alfredo Veiga-Neto e Walter Kohan. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

FOUCAULT, Michel. Poder-corpo. In:______. Microfísica do poder. 5. ed. Organização e tradução de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985.

______. História da sexualidade I: a vontade de saber. 7. ed. Tradução de Maria Thereza da Costa Albuquerque e Guilhon Albuquerque. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1985a.

______. Em Defesa da Sociedade: curso no Collège de France (1975-1976) Michel Foucault; tradução Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 1999. (Coleção Tópicos).

______. O sujeito e o poder. In: Hubert L. Dreyfus e Paul Rabinow; Michel Foucault- uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e a hermenêutica. 2. ed. Rev.; tradução Veraportocarrero e Gilda Gomes Carneiro. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2013.

______. A Ética do Cuidado de Si como Prática da Liberdade. In: _____. Ditos e es- critos v. V. 2. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2010.

GALLO, Sílvio. Foucault e as “práticas de liberdade”: possibilidades para o campo educativo. In: MUCHAIL, Salma T.; FONSECA, Márcio A. da; VEIGA-NETO, Alfredo. (Orgs.). O mesmo e o outro: 50 anos de História da loucura. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2013. (Coleção estudos foucaultianos).

MARINHO, Cristiane. A potência da educação de subjetividades insurgentes para uma política outra. In: RAGO, Margareth; GALLO, Sílvio. (Orgs.). Michel Foucault e as insurreições: É inútil revoltar-se?. São Paulo: CNPq, Capes, Fapesp, Intermeios, 2017.

Publicado
2019-04-22
Edição
Seção
Artigos