PALAVRAS DE DESCOMEÇOS: REFLEXÕES DIALÓGICAS EM “NO DESCOMEÇO ERA O VERBO”, DE MANOEL DE BARROS

Carlos Eduardo da Silva Ferreira, Elaine Martins dos Santos Silva

Resumo


Tendo como objeto para análise o poema “No descomeço era o verbo”, VII Poema integrante da parte inicial de O livros das ignorãnças (1993, p. 17), de Manoel de Barros, este artigo se centra a partir de estudos discursivos ligados a perspectivas do Círculo de Bakhtin, bem como trava reflexões sobre contribuições de Jacqueline Authier-Revuz (2004 [1982]) para análises deste nosso movimento. A partir de com movimentos de produção de sentidos e de ressignificações, nós procuramos nos deter na produção de redes dialógicas que marcam um interdiscurso com os valores enunciados neste poema Trabalhamos conceitos como tema e significação, alteridade, exotopia e discurso poético.


Texto completo:

PDF

Referências


AUTHIER-REVUZ, J. "Palavras incertas": as não-coincidências do dizer. Tradução de Claudia R. Castellanos Pfeiffer, et al. Revisão técnica da tradução Eni Pulccinelli Orlandi Campinas: Ed. da UNICAMP, 1998.

_____. Heterogeneidade mostrada e heterogeneidade constitutiva: elementos para uma abordagem do outro no discurso. In: "Entre a transparência e a opacidade": um estudo enunciativo do sentido. Apresentação Marlene Teixeira; revisão técnica da tradução de Leci Borges Barbisan e Valdir do Nascimento Flores. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2004.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

BAKHTIN, M./VOLOCHINOV, V. N. Discurso na vida e discurso na arte: sobre poética sociológica. Tradução de C. A. Faraco; C. Tezza. Circulação restrita. [1926].

BARROS, Manoel de. O livro das ignorãças. 3ªed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1993. BÍBLIA SAGRADA. N.T. João 1. Trad. de J. F. Almeida. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 1998, p. 134-136

BRAIT, Beth (Org). Estudos enunciativos no Brasil. São Paulo: Pontes, 2001.

BÍBLIA SAGRADA. N.T. João 1. Trad. de J. F. Almeida. São Paulo: Sociedade Bíblica do Brasil, 1998, p. 134-136.

FERREIRA, Carlos Eduardo da Silva. O discurso sobre a aula de matemática: articulando vozes na revista Nova Escola. Dissertação (Mestrado em Linguística e Língua Portuguesa) – Unesp, Araraquara-SP. 2015.

FONSECA, C. M. V. Escavando o discurso e encontrando o sujeito: uma arqueologia das heterogeneidades enunciativas. Dissertação (Mestrado em Linguística) – Programa de Pós-Graduação em Linguística do Centro de Humanidades da Universidade Federal do Ceará, Ceará, 2007.

FRANCELINO, Pedro Farias. A dimensão dialógica e socioaxiológica do discurso reportado em Bakhtin. In: Graphos. João Pessoa, Ano VI. N. 2/1, Jun./Dez., 2004.

GERALDI, João Wanderley. Depois do ‘show’, como encontrar encantamento? In: Cadernos de Estudos Linguísticos. Campinas, (44): 251-261, Jan./Jun. 2003.

PÊCHEUX, Michel. Rôle de la mémoire. In: Histoire et linguistique. Paris: Editions de la Maison des Sciences de l’Homme, 1984.

TEZZA, Cristóvão. Entre a prosa e a poesia: Bakhtin e o formalismo russo. Rio de Janeiro: Rocco, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Entrelaces - Revista do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFC

ISSN: 1980-4571

Qualis B2