ESCUTAMENTOS DE BERNARDO: SOBRE O HAIKU JAPONÊS E O LIVRO DE BERNARDO

Janaina Jenifer de Sales

Abstract


Há muito tempo a poesia ocidental, assim como outras artes, rendeu-se aos encantos e exotismos da estética e da filosofia oriental, através do que ficou conhecido como “japonismo”. Essa tendência influenciou até mesmo os poetas modernistas brasileiros e, durante todo o século XX o “haiku” ou “haicai” passou a ser praticado entre os poetas brasileiros, chegando até os dias de hoje. Neste trabalho, faremos uma aproximação entre a poesia de Manoel de Barros e essa forma poética tradicional japonesa. Para tanto, utilizaremos a segunda parte da obra Tratado geral das grandezas do ínfimo (2001), intitulada “O livro de Bernardo”.


References


ADORNO, Theodor. W., Notas de literatura I. São Paulo: Editora 34 Livraria Duas Cidades, 2003.

BARROS, Manoel de. Tratado geral das grandezas do ínfimo. São Paulo: Leya, 2013.

BARTHES, Roland. O império dos signos. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

BASHÔ, Matsuo. Trad. SAVARY, Olga. Haikais de Bashô. São Paulo: Hucitec, 1989.

BATH, Sérgio. Japão ontem e hoje. São Paulo: Ática, 1993.

GOGA, Masuda H., O haicai no Brasil. Trad. José Yamashiro. São Paulo: Oriento, 1988.

GUTTILLA, Rodolfo Witzig (Org.). Boa companhia: Haicai. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

OHNO, Massao; KEMPF, Roswhita. Trad. SAVARY, Olga. O livro dos hai-kais. São Paulo: Massao Ohno, 1980.

PAZ, Octavio. O arco e a lira. São Paulo: Cosac Naify, 2012.

PAZ, Octavio. Signos em rotação. São Paulo: Perspectiva, 1972.

SUZUKI, Daisetz T. Zen and japanese culture. 5a ed. Tokyo: Tuttle, 1994.

WATTS, Alan. El camino del Zen. Retamar-Almería: Ediciones Perdidas, 2005.


Refbacks

  • There are currently no refbacks.