A comunicação científica das práticas interdisciplinares em processos de aprendizagem

uma análise entre 2010-2020

  • Davilene Santos Universidade Federal da Bahia
  • Adriana Serafim
  • Flávia Rosa Universidade Federal da Bahia/UFBA
Palavras-chave: Comunicação científica, Interdisciplinaridade, Revisão de Literatura, Aprendizagem

Resumo

Este trabalho visa realizar um mapeamento a partir da literatura científica brasileira acerca da temática interdisciplinaridade e os processos de aprendizagem em artigo de periódico revisados por pares, e indexados no Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), entre os anos de 2010 e 2020. A pesquisa se constitui de natureza aplicada, com abordagem qualitativa e quantitativa, adotando a análise de conteúdo como técnica. Foram recuperados 312 artigos através dos descritores utilizados, interdisciplinaridade and processo de aprendizagem, após a análise de conteúdo, esse número foi reduzido para 22 artigos, aos quais foram possíveis verificações mais aprofundadas. As categorias utilizadas para as análises foram: título, resumo, ano de publicação, autoria, palavras-chave, nível, ensino; periódicos e abordagem metodológica. O levantamento permitiu identificar que existem algumas lacunas a serem pesquisadas quanto aos estudos dessa temática em ambos os níveis de ensino, as abordagens mais utilizadas pelos pesquisadores em suas coletas de dados, assim como as revistas científicas que publicam artigos sobre esse tema, subsidiando futuras investigações.

 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Davilene Santos , Universidade Federal da Bahia

Mestra em Estudos Interdisciplinares sobre a Universidade pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Graduação em Biblioteconomia e Documentação pela Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Adriana Serafim

Graduação em Adminstração pela Faculdade Batista Brasileira. Especialização em Psicopedagogia.

Flávia Rosa, Universidade Federal da Bahia/UFBA

Doutorado em Programa de Pós-Graduação em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal da Bahia, Brasil(2011); Diretora de Comunicação da Associação Brasileira de Editoras Universitárias , Brasil; Professora Titular da Universidade Federal da Bahia, 

Referências

ANDREOLA, B. Interdisciplinaridade. In: STECK, D; REDIN, E; ZITKOSKI, J. (org.). Dicionário Paulo Freire. São Paulo: Autêntica, 2010. p. 229-230.

ARAÚJO, Claudio Romero Pereira de. Um Diálogo entre Piaget, Vygotski e Wallon sobre as categorias de Desenvolvimento e Aprendizagem. 2020. Revista Multidisciplinar e de Psicologia. v. 14, n. 49 p. 489 - 503.. Disponível em: https://idonline.emnuvens.com.br/id/article/view/2369/3654. Acesso em: 22 abr. 2020.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2016.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei 9394/96. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9394.htm. Acesso em: 21 abr. 2020.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia. São Paulo: Loyola, 1979.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Integração e interdisciplinaridade no ensino brasileiro: efetividade ou ideologia. 6. ed. São Paulo: Loyola, 2011.

FONSECA, João José Saraiva. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002. Apostila. Disponível em: http://www.ia.ufrrj.br/ppgea/conteudo/conteudo-2012-1/1SF/Sandra/apostilaMetodologia.pdf. Acesso em: 17 set. 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 22. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

JAPIASSU, Hilton. Interdisciplinaridade e patologia do saber. Rio de Janeiro: Imago, 1976.

MEADOWS, A. J. A comunicação científica. Brasília, DF: Briquet de Lemos, 1999.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec: ABRASCO, 1992.

MORIN, Edgar. Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. 4. ed. São
Paulo; Cortez, 2007.

MORISINI, Marília Costa. Estado de conhecimento e questões do campo científico. Educação. Santa Maria. v. 40, n. 1, p. 101 – 116, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsm.br/reveducacao/article/view/15822/pdf. Acesso em: 21 abr. 2020.

PIAGET, J. A equilibração das estruturas cognitivas: problema central do desenvolvimento. Trad. Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1976.

PUHL, Cassiano Scott; MULLER, Thaísa Jacintho; LIMA, Isolda Gianni de. AS CONTRIBUIÇÕES DE DAVID AUSUBEL PARA OS PROCESSOS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM. 2020. Revista Dynamis. BLUMENAU, v. 26, n.1, p. 61 – 77. Disponível em: https://bu.furb.br/ojs/index.php/dynamis/article/view/8589/4524. Acesso em 22 abr. 2020.

RODRIGUES, Marcia Maria. As Teorias da Aprendizagem e suas Implicações na Educação a Distância. Revista Educar FCE – Educação em sua Essência. v. 2, n. 1, p. 103 – 116. Agosto, 2016. Edição eletrônica. Disponível em: . Acesso em 23 abr. 2020.

SANTOS, Valdeci da Silva. O Que é e como fazer “revisão da literatura” na pesquisa teológica. Fides Reformata, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 89-104, 2012. Disponível em: https://www.passeidireto.com/arquivo/27418480/revisao-de-literatura-o-que-e-como-fazer. Acesso em: 14 out. 2018.

THIESE, Juares da Silva. A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Revista Brasileira de Educação. Rio de Janeiro, v. 13, n. 39, p. 545-598, 2008. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v13n39/10.pdf. Acesso em: 21 abr. 2020.
Publicado
2020-12-29
Como Citar
SANTOS, D. S.; SOUZA, A. S. DE; ROSA, F. G. M. G. A comunicação científica das práticas interdisciplinares em processos de aprendizagem. Informação em Pauta, v. 5, n. 2, p. 56-70, 29 dez. 2020.