Análise de cocitação de trabalhos sobre linguagem de indexação na base de dados da BRAPCI

  • Jéssica Beatriz Tolare Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP
  • Mariângela Spotti Lopes Fujita Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP
  • Edmilson Alves dos Santos Júnior Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho
Palavras-chave: Linguagem de indexação, Bibliometria, Análise bibliométrica

Resumo

A fim de verificar o desenvolvimento científico do tema linguagem de indexação, realizou-se análise bibliométrica da produção científica, no período de 2008 a 2019, na Base de Dados em Ciência da Informação (BRAPCI). Para efetuar essa análise, foram utilizados métodos Bibliométricos, a partir da pesquisa de busca na base de dados mencionada com o termo composto “linguagem de indexação”, tendo como foco os autores mais produtivos e suas relações de cocitação. Foi constituída uma amostragem de 64 artigos com 885 autores, sendo destacados os 12 primeiros autores que tinham mais de 10 citações. Os autores com os maiores índices de produtividade têm pelo menos 5 citações, enquanto todos os autores possuem pelo menos uma citação relacionada a outro autor. Dessa forma, foi possível traçar quais foram os autores mais produtivos, os autores mais citados e os periódicos mais relevantes. Com isso, foi criada a rede de coautoria, possibilitando visualizar as relações entre os autores. Portanto, faz-se necessário salientar a importância em analisar a produção da área, pois possibilita a observação, a análise, o levantamento de dados, a identificação e a interpretação de como essa vem se desenvolvendo, especificamente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica Beatriz Tolare, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP

Mestranda em Ciência da Informação - UNESP

Mariângela Spotti Lopes Fujita, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP

Docente Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação UNESP - Campus de Marília

Doutora em Ciência da Comunicação - USP

Edmilson Alves dos Santos Júnior, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho

Mestrando em Ciência da Informação - UNESP

Referências

AMERICAN NATIONAL STANDARD/NATIONAL INFORMATION STANDARDS ORGANIZATION. ANSI/NISO Z39.19: Guidelines for the construction, format, and management of monolingual controlled vocabularies. Bethesda: NISO Press, 2005. Disponível em https://groups.niso.org/apps/group_public/download.php/12591/z39-19-2005r2010.pdf. Acesso em: 07 mar. 2020.

ARAÚJO, C. A. Bibliometria: evolução histórica e questões atuais. Em Questão. Porto Alegre: v. 12, n. 1, p. 11-32, jan./jun. 2006. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/16. Acesso em: 05 abr. 2020.

ARAÚJO, C. A. A. et al. Um retrato da Revista Escola de Biblioteconomia da UFMG. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 15, n. Especial, p. 134-153, nov. 2010. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/89ff/8d08b96c38ac639272b84e93b3b6429f4a2d.pdf. Acesso em: 05 abr. 2020.

BOCCATO, V. R. C. A linguagem documentária vista pelo conteúdo, forma e uso na perspectiva de catalogadores e usuários. In: FUJITA, M. S. L. (Org.) A indexação de livros: a percepção de catalogadores e usuários de bibliotecas universitárias: um estudo de observação do contexto sociocognitivo com protocolos. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. Cap. 6. p. 119-135.Disponível em http://books.scielo.org/id/wcvbc/pdf/boccato-9788579830150-08.pdf. Acesso em: 07 set. 2019.

BOCCATO, V. R. C; TORQUETTI, M. C. Interoperabilidade entre linguagens de indexação como recurso de construção de instrumento de representação temática de clippings de coordenadorias de comunicação social em ambientes universitários: uma proposta metodológica. Informação & Informação. Londrina, v.17, n.3, p. 76-101, set./dez. 2012.

BOCCATO,V. R. C.; RAMALHO, R. A. S.; FUJITA, M. S. L. A contribuição dos tesauros na construção de ontologias como instrumento de organização e recuperação da informação em ambientes digitais. In: GARCÍA MARCO, F. J. (Ed.). Avances y perspectivas en sistemas de información y documentación, 2008. Zaragoza: Universidad de Zaragoza, 2008. p. 199-209. Disponível em https://www.ibersid.eu/ojs/index.php/ibersid/article/view/2235. Acesso em: 17 mar. 2020.

Bases de Dados em Ciência da Informação - BRAPCI 2020. Disponível em: https://brapci.inf.br/index.php/res/. Acesso em: 12 ago. 2020.

CARVALHO, Maria Martha de Carvalho; BOTELHO, Tania Mara; PARANHOS, Wanda Maria Maia da Rocha. Linguagens de indexação: uma experiência de análise e avaliação. Rev. Escola de Biblioteconomia da UFMG. Belo Horizonte, v. 5, n.1 p. 42-59, mar. 1976.

CASTRO, I. R.; OLIVEIRA, M. Análise bibliométrica da produção científica sobre as linguagens de indexação publicadas nos anais de congresso do ENANCIB no período de 2012 a 2015.Biblionline, João Pessoa: v. 12, n.3, p. 48-60, jul./set., 2016. Disponível em: http://200.20.0.78/repositorios/handle/123456789/3383, Acesso em: 05 abr. 2020.

CESARINO, Maria Augusta da Nóbrega.; PINTO, Maria Cristina Mello Ferreira. Cabeçalho de assunto como linguagem de indexação. Rev. Escola de Biblioteconomia UFMG. Belo Horizonte, 7(2). 268-288p. set. 1978. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/index.php/article/view/0000001991. Acesso em: 05 abr. 2020.

CHAUMIER, J. Analisis y lenguajes documentales: el tratamiento linguistico de la información documental. Barcelona: Editora Miltre. 172p. 1986.
COSTA, Maria Leonor Lopes Fantesia Pereira da. Definição de uma política de indexação numa biblioteca escolar e a recuperação da informação. 2009. Dissertação (Mestrado em Ciências da Documentação e Informação). Universidade de Lisboa – Faculdade de Letras. 2009. Disponível em: https://repositorio.ul.pt/handle/10451/395. Acesso em: 05 abr. 2020.

CRUZ, Maria Carolina Andrade e. Linguagem de indexação no contexto da política de indexação: estudo em bibliotecas universitárias. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso, Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Filosofia e Ciências. 2017. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/319956581_Linguagem_de_Indexacao_no_contexto_da_Politica_de_Indexacao_estudo_em_Bibliotecas_Universitarias. Acesso em: 05 abr.

CRUZ, Maria Carolina Andrade e. Linguagens de indexação em bibliotecas: estudo analítico em território nacional. 2019. Dissertação (Mestrado em Ciência da Informação). Universidade Estadual Paulista – Faculdade de Filosofia e Ciências. 2019. Disponível em: https://www.marilia.unesp.br/Home/Pos-Graduacao/CienciadaInformacao/Dissertacoes/cruz_mca_me_mar.pdf. Acesso em: 05 mar. 2020.

DAL’EVEDOVE, Paula Regina; FUJITA, Mariângela Spotti Lopes; TARTAROTTI, Roberta Cristina Dal’Evedove. A produção científica na temática indexação: análise bibliométrica no período de 2003 a 2012. XIV Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (ENANCIB), 2013. Disponível em: http://enancib.ibict.br/index.php/enancib/xivenancib/paper/view/4358/3481. Acesso em 05 abr. 2020.

DAL’EVEDOVE, Paula Regina; TARTAROTTI, Roberta Cristina Dal’Evedove; FUJITA, Mariângela Spotti Lopes. Estudos sobre análise de assunto no Brasil: estado da arte e perspectiva futuras. Scire, 17:2, jul; 2017.

FIGUEIREDO, N. Tópicos modernos em Bibliometria. Brasília: Associação dos Bibliotecários do Distrito Federal, 1977.

FORESTI, N. Estudo da contribuição das revistas brasileiras de biblioteconomia e ciência da informação enquanto fonte de referência para a pesquisa. 1989. Dissertação (Mestrado) – Departamento de Biblioteconomia da Universidade de Brasília. UnB. Brasília, 1989. Disponível em: https://www.brapci.inf.br/_repositorio/2011/06/pdf_864331a9e4_0001626.pdf. Acesso em: 05 mar. 2020.

FUJITA, Mariângela Spotti Lopes. A representação documentária no processo de indexação com o modelo de leitura documentária para textos científicos e livros: uma abordagem cognitiva com o protocolo verbal. Ponto de Acesso, Salvador, v. 7, n.1, p. 42-66, 2013. Disponível em: https://portalseer.ufba.br/index.php/revistaici/article/view/8135. Acesso em: 10 set. 2019.

FUJITA, Mariângela Spotti Lopes. Diretrizes teórico-metodológicos sobre leitura documentária para indexação. In: FUJITA, M. S. L.; NEVES, D. A. de B.; DAL’ EVEDOVE, P. R. (Org.). Leitura documentária: estudos avançados para a indexação. Marília: Oficina Universitária, Cultura Acadêmica, 2017.

FUJITA, Mariângela Spotti Lopes; GIL LEIVA, Isidoro. As linguagens de indexação em bibliotecas nacionais, arquivos e sistemas de informação na América-latina. In: Seminário nacional de bibliotecas universitárias. 16., 2010, São Conrado, 2010. Disponível em: http://eprints.rclis.org/15137/1/Indexing_languages_FUJITA_GIL_LEIVA.pdf. Acesso em: 08 set.. 2019.

FUJITA, Mariângela Spotti Lopes. SANTOS, Luciana Beatriz Piovezan dos. A estrutura lógico-hierárquica de linguagens de indexação utilizada por bibliotecas universitárias. Scire, v.22, n.2, p.37-46, jul.-dic. 2016. Disponível em: https://www.ibersid.eu/ojs/index.php/scire/article/view/4336. Acesso em: 04-04-2020.

FUJITA, M. S. P.; SANTOS, L. B. P. DOS; ALVES, R. V. Linguagem de indexação e linguagem documentária são sistemas de organização do conhecimento? Uma análise bardiana da variação terminológica. Scire. v.24, n.2, p.23-33, jul.-dic. 2018. Disponível em: https://www.ibersid.eu/ojs/index.php/scire/article/view/4577. Acesso em 04-04-2020

FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DE SÃO PAULO (FAPESP). Análise da produção científica a partir de indicadores bibliométricos. In: Indicadores de Ciência, Tecnologia e Inovação em São Paulo, v. 1, São Paulo, Brasil, 2005.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GIL URDICIAIN, B. Manual de lenguajes documentales. 2. ed. rev. e aum. Gijón: Trea, 2004.

GRÁCIO, M. C. C.; OLIVEIRA, E. F. T. Produção e comunicação da informação em CT&I – GT7 da ANCIB: análise bibliométrica no período 2003/2009. Liinc em Revista, Rio de Janeiro, v.7, n.1, p. 248–263, mar. 2011. Disponível em: http://revista.ibict.br/liinc/index.php/liinc/article/viewFile/412/289. Acesso em: 10 ago. 2020.

GUEDES, V. L. S. A bibliometria e a gestão da informação e do conhecimento científico e tecnológico: uma revisão da literatura. Ponto de Acesso, v. 6, n. 2, p. 74-109, ago., 2012.

GUIM, V. L. R. O uso de linguagem documentária no âmbito da política de indexação em biblioteca escolar.2016. 128 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Informação) – Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Filosofia e Ciências, Marília, 2016.Disponível em: https://www.marilia.unesp.br/Home/Pos-Graduacao/CienciadaInformacao/ Dissertacoes/guim_vlr_me_mar.pdf . Acesso em: 13 set. 2019.

GUIMARÃES, J. A. C. Recuperação temática da informação. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, São Paulo, v. 23, n3/4, p. 112-130, 1990. Disponível em: http://www.brapci.inf.br/v/a/2799. Acesso em: 07 set. 2019.

GUIMARÃES, J. A. C. A dimensão teórica do tratamento temático da informação e suas interlocuções com o universo científico da International Society for Knowledge Organization (ISKO). Revista Ibero-americana de Ciência da Informação (RICI), v.1, n.1, p.77-99, jan./jun. 2008. Disponível em http://periodicos.unb.br/index.php/RICI/article/view/2761 . Acesso em: 07 mar. 2020.

HJØRLAND, B. Theories are Knowledge Organizing Systems (KOS). Knowledge Organization, v.42, n.2, p.113-128, 2015. Disponível em: http://www.ergon-verlag.de/isko_ko/. (2018-02-16). Acesso em: 04 abr. 2020.

LANCASTER, F.W. El Control del Vocabulario en la Recuperación de Información. 2. ed. Valencia, 2002.

LANCASTER, F. W. Indexação e resumos: teoria e prática. 2ed. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.

MAI, J-E. Deconstructing the Indexing Process. Advances in Librarianship 23: 269-298, 2000.

MORAVCSIK, J. M.; MURUGESAN, P. Some results on the function and quality of citations. Social Studies of Sciences, 5: 86-92, 1975.

MAZZOCCHI, Fulvio. Knowledge Organization Systems (KOS). In: ENCYCLOPEDIA of Knowledge Organization. ISKO, 2017. Disponível em: http://www.isko.org/cyclo/kos. Acesso em: 04 abr. 2020.

MIGUÉIS, Ana; NEVES, Bruno. Uma abordagem à linguagem de indexação dos artigos científicos depositados no repositório científico da Universidade de Coimbra. Ponto de Acesso. Salvador, v. 7, n.1, p. 116-131, abr 2013. Disponível em: https://eg.uc.pt/bitstream/10316/23450/1/Uma%20abordagem%20à%20linguagem%20de%20indexação%20dos%20artigos%20científicos.pdf. Acesso em 05 abr. 2002.

MOREIRA,H.; CALEFFE, L. G. Metodologia da pesquisa para o professor-pesquisador. Rio de Janeiro: DP&A. 2005.

MOURA, Maria Aparecida. et al. Linguagens de indexação em contextos cinematográficos: a experiência de elaboração do tesauro eletrônico do cinema brasileiro. Perspectivas em Ciência da Informação. Belo Horizonte: v. 10, n.1, p.54-69, jan./jun. 2005.

PIOVEZAN, L. B.; FUJITA, M. S. L. Análise de cocitação de autores: uma aplicação em estudos de indexação. Em Questão. v. 21, n. 1 jan./abr. 2015. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/EmQuestao/article/view/48016. Acesso em 05 abr. 2020.

RODRIGUES, M. da P. Citações nas dissertações de mestrado em Ciência da Informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 11, n. 1, p. 35-61, 1982.

RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. 31. ed. Petrópolis: Vozes. 2003.

SANTIN, D. M.; BRAMBILLA, S. D. S.; STUMPF, I. R. C. Produção científica em neurociências da UFRGS na Web of Science: 2000-2009. Liinc em Revista. Rio de Janeiro, v. 9, n. 1, p. 66-84, maio, 2013.

SANTOS, L. B. P. Política de indexação para bibliotecas: relatório. Marília: Faculdade de Filosofia e Ciências, Universidade Estadual Paulista, 2011. Bolsa do Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico CNPq.

SMALL, H. Co-Citation in the Scientific Literature: A New Measure of the Relationship Between Two Documents. Journal of the American Society for Information Science, 24 (4 ): 265-269, 1973.

TAGUE-SUTCLIFFE, J. An introduction to infometrics. Information Processing & Management. Oxford, v. 28, n. 1, p. 1-3, 1992.

VIEIRA, S. B. Indexação automática e manual: teoria e prática. 1988. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/298. Acesso em 07 mar. 2020.

VAN SLYPE, G. Lenguajes de Indización: concepción, construcción y utilización en los sistemas documentales. Trad. do francês por Pedro Hipola e Félix de Moya. Madrid: Salamanca: Fundación Germán Sánchez Ruipérez; Madrid: Pirámide, 1991. 200 p. (Biblioteca del Libro). Disponível em: http://www.ugr.es/~phipola/Los_lenguajes_de_indizacion.pdf. Acesso em 09 mar. 2020.

Visualizing Scientific landscapes - VosViewer. Disponível em: https://www.translatetheweb.com/?from=en&to=pt&ref=SERP&dl=en&rr=UC&a=https%3a%2f%2fwww.vosviewer.com%2f. Acesso em: 14 ago. 2020.

VIEIRA, S. B. Indexação automática e manual: teoria e prática. 1988. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/298. Acesso em 10 mar. 2020
.
ZENG, M. L. Knowledge organization systems (KOS).Knowledge Organization: international journal devoted to concept theory, classification, indexing and knowledge representation, Frankfurt, v. 35, n. 2-3, p. 160-182, 2008. Disponível em: https://www.academia.edu/26672820/Knowledge_Organization_Systems_KOS_. Acesso em 05 abr. 2020
Publicado
2020-12-29
Como Citar
TOLARE, J. B.; FUJITA, M. S. L.; SANTOS JÚNIOR, E. A. DOS. Análise de cocitação de trabalhos sobre linguagem de indexação na base de dados da BRAPCI. Informação em Pauta, v. 5, n. 2, p. 132-154, 29 dez. 2020.