A voz queer no documentário Paris is Burning

  • Nicolas Silva de Sales Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
  • Jamer Guterres de Mello Universidade Anhembi Morumbi (UAM).
Palavras-chave: Cinema documentário, Teoria Queer, Paris is Burning

Resumo

O presente artigo propõe um encontro entre o cinema e os estudos queer a partir do documentário Paris Is Burning (Jennie Livingston, 1990). Para isso, iniciamos o texto contextualizando o filme e seu enredo. Em seguida, trazemos à discussão a teoria queer e seus principais fundamentos. Finalmente, abordamos o conceito de voz no documentário a partir de Bill Nichols, entendendo a voz como o resultado ético e estético através do qual o documentário fala sobre o mundo histórico em que se insere. Esse empreendimento teórico abre diversas possibilidades e caminhos de análise. Neste texto, escolhemos abordar a montagem estruturada em intertítulos em Paris Is Burning para demonstrar o encontro teórico que nos leva à investigação da voz queer no filme.

Biografia do Autor

Nicolas Silva de Sales, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Nicolas Silva de Sales é graduado em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.
Jamer Guterres de Mello, Universidade Anhembi Morumbi (UAM).
Jamer Guterres de Mello é pós-doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi e doutor pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Informação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Referências

BESSA, Karla. A Teoria queer e os desafios às molduras do olhar. Revista Cult, São Paulo, edição 193, ago 2014. Disponível em: <http://revistacult.uol.com.br/home/2014/10/a-teoria-queer-e-os-desafios-as-molduras-do-olhar/>. Acesso em: 16 nov. 2015.

BUTLER, Judith. Corpos que pesam: sobre os limites discursivos do “sexo”. In: LOURO, Guacira Lopes (org.). O Corpo Educado: Pedagogias da Sexualidade. Belo Horizonte: Autêntica, 2010. pp. 151-172.

DE LAURETIS, Teresa. Queer Texts, Bad Habits and the Issue of a Future. In: GLQ: A Journal of Lesbian and Gay Studies, 17:2-3, p. 243-263, 2011.

FOUCAULT, Michel. História da Sexualidade I: A vontade de Saber. Rio de Janeiro: Graal, 1999.

FREIRE, Marcius. Documentário – Ética, estética e formas de representação. São Paulo: Annablume, 2011.

HALBERSTAM, Judith. The Queer Art of Failure. Durham and London: Duke University Press, 2011.

HILBERBRAND, Lucas. Paris Is Burning: A Queer Film Classic (Queer Film Classics). New York: Arsenal Pulp Press, 2013.

LOURO, Guacira Lopes. Teoria Queer – Uma Política Pós-identitária para a Educação. Estudos Feministas, ano 9, n. 2, p. 541-553, 2° semestre de 2001. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/ref/v9n2/8639.pdf>. Acesso em: 15 nov. 2015.

MISKOLCI, Richard. A Teoria Queer e a questão das diferenças: por uma analítica da normalização. In: 16º Congresso de Leitura do Brasil, 2007, Campinas. Anais Eletrônicos do 16º Congresso de Leitura do Brasil. Campinas, UNICAMP, 2007. Disponível em: <http://alb.com.br/arquivo-morto/edicoes_anteriores/anais16/prog_pdf/prog03_01.pdf>. Acesso em: 16 nov. 2015.

NICHOLS, Bill. A voz do documentário. In: RAMOS, Fernão Pessoa. (org.). Teoria Contemporânea do Cinema: Documentário e narratividade ficcional. São Paulo: SENAC, 2004.

NICHOLS, Bill. Introdução ao documentário. Campinas, SP: Papirus, 2005.

PARIS Is Burning. Direção: Jennie Livingston. Distribuidora: Miramax Films. New York (US). 78min. 1990.

PSARRAS, Marios. 25 Years of (new) Queer cinema and theory. 2015. Disponível em: <http://filmiconjournal.com/blog/post/36/25_years_of_new_queer_cinema_and_theory> Acesso em: 16 nov. 2015.

RAMOS, Fernão Pessoa. (Org.). Teoria Contemporânea do Cinema: Documentário e narratividade ficcional. São Paulo: SENAC, 2004.

SALES, Nicolas. Uma voz que ressoa pelas rupturas do corpo: encontros entre os estudos queer e o documentário Paris is Burning. 2015, 76f. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado) – Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, 2015. Disponível em: http://hdl.handle.net/10183/137777.

SEDGWICK, Eve Kosofsky. Tendencies. London: Routledge, 1994.

Publicado
2017-09-15
Seção
Artigos