• Dossiê Semiótica e Culturas da Comunicação: submissões abertas

    2021-03-04

    “... eu uma vez passando fiz um sinal no espaço, de propósito, para poder vir reencontrá-lo duzentos milhões de anos depois, quando viéssemos a passar por ali na volta seguinte. Um sinal como? É difícil dizer porque quando lhes digo sinal pensarão imediatamente em alguma coisa que se distinga de outra coisa, e ali não havia nada que pudesse se distinguir-se de nada”. As cosmicômicas, Italo Calvino.

    Embora o signo já fosse objeto de observação, de conjecturas e experimentações e estivesse presente nas primeiras expressões da humanidade  – como, por exemplo, nas pinturas rupestres, que tinham finalidades prática e mágica – é só ao final do  século XIX que se reclama a existência de uma ciência autônoma para o estudo dos signos. Mais de um século depois dos primeiros estudos a sistematizarem as relações entre os processos comunicativos e os signos, é cada vez mais evidente que o projeto evolutivo do planeta – que é sempre errático e se dá por saltos de temporalidades – tem correspondência direta com a expansão da semiosfera. O bios já não pode mais se separar do sēmeîon e, assim, natureza e cultura expandem-se, gerando signos cada vez mais complexos e evoluídos. Refletir sobre o nosso tempo é, também, refletir sobre a dinâmica dessa produção.

    O presente número da revista Passagens convida pesquisadoras e pesquisadores das mais diversas filiações de estudos do signo refletirem sobre a situação da semiótica hoje. Temas que podem versar sobre a semiose no espaço virtual; os processos de significação; a comunicação como um problema semiótico; a tradução intersemiótica; as dinâmicas dos pares memória x esquecimento e cultura x não cultura; as questões epistemológicas envolvendo os processos de produção sígnica; os ambientes comunicacionais; a cognição e a percepção; as dimensões políticas e estéticas do funcionamento dos signos; a produção de sentido; a interdisciplinaridade entre a semiótica e áreas de conhecimento afins, entre outros.

    Saiba mais sobre Dossiê Semiótica e Culturas da Comunicação: submissões abertas