Patativa do Assaré: voz, corpo e verso, vida e esperança no Sertão

  • Ênio José da Costa Brito PUC-SP
Palavras-chave: Imagem, Corpo, Mídia, Sertão, Patativa do Assaré

Resumo

O artigo tece comentário à tese Uma voz que amplifica a Aldeia, de Antônio Iraildo Alves de Brito (2018), que se ocupa da análise e interpretação das imagens na poética de Patativa do Assaré. A tese quer responder a questão: seria possível encontrar na obra do sertanejo imagens de um sertão com vida, fertilidade e beleza?

Biografia do Autor

Ênio José da Costa Brito, PUC-SP

Professor Titular do Programa de Estudos Pós-Graduados em Ciência da Religião da PUC-SP, Coordenador do Grupo de Pesquisa “Imaginário Religioso Brasileiro (Veredas)”, e Vice Coordenador do Centro de Estudos Culturais Africanos e da Diáspora – CECAFRO/PUC, São Paulo.

Referências

ANTONACCI, Maria Antonieta. Memórias ancoradas em corpos negros. São Paulo: Educ, 2014.

ASSARÉ, Patativa do. Cante lá que eu canto cá. 13 ed. Petropólis: Vozes, 2002.

BARBOSA, Francisco Salatiel de Alencar. O joazeiro Celeste: tempo e paisagem na devoção ao Padre Cicero. São Paulo: Attar, 2007.

BONVINI, E. Tradição oral afro-brasileira: as razões de um vitalidade. Projeto História, n.22. São Paulo: Educ, 2001.

BOSI, Alfredo. Dialética da Colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

BRITO, Antonio Iraildo Alves de. Uma voz que amplifica a aldeia: as imagens do sertão na obra de Patativa do Assaré do corpo às novas mídias. Tese de Doutorado em comunicação e semiótica. Pontificia Universidade Católica de São Paulo, 2018.

COBRA, Cristiane. Patativa do Assaré: hermenêutica criativa da religiosidade no semi-árido. São Paulo: Kaikoku, 2010.

ROSA, Guimarães. Grande Sertão: veredas. 2ª ed. Rio de Janeiro: José Olympio,1958.

VILELA, Ivan. Cantando a própria história: música caipira e enraizamento. São Paulo: Edusp, 2015.

ZUMTHOR, Paul. A letra e a voz. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

ZUMTHOR, Paul. L’écriture et la voix (d’une littérature populaire brésilienne). Critique. Paris: Editions de Minuit. tome XXXVII, n.394, mar. Paris: 198o.

Publicado
2018-12-19
Seção
Artigos