O espectador teatral do século XX

O projeto de Jacques Copeau

  • Sandro de Cássio Dutra Universidade Estadual Paulista

Resumo

No teatro contemporâneo, mais precisamente a partir do século XX, há uma notável preocupação de diretores teatrais, no que concerne à disposição do espectador, para modificar o tradicional acordo instaurado no theatron (lugar de onde se vê) para, dentre outras propostas, trazer o público para a skené (palco). Neste artigo, pretendemos discutir tal transformação, com foco sobre as ideias do diretor francês Jacques Copeau, que além de se debruçar sobre a formação do ator, preocupou-se cotidianamente com o espectador, procurando conhecer suas aspirações, potencialidades e reações. Copeau acreditava que o público não se limitava a exigências vulgares. Mais tarde, Rancière teorizaria sobre o “espectador emancipado”.

Biografia do Autor

Sandro de Cássio Dutra, Universidade Estadual Paulista

Possui graduação e mestrado em História pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - UNESP. É doutor em teatro pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO. É ator do grupo Teatro Fabrincantes e Matulão e editor do jornal RUARADA. Autor do livro Linhagens e Noçõs Fundamentais de Improvisação Teatral no Brasil: Leituras em Boal e Burnier. Pós-doutorando – Unesp/ Câmpus de Assis.

Publicado
2019-09-29
Seção
Temática Livre