Diagnósticos de enfermagem em crianças hospitalizadas

Thayane Alves Moura César Lopes, Maria de Fátima Vasques Monteiro, Joseph Dimas de Oliveira, Dayanne Rakelly de Oliveira, Ana Karina Bezerra Pinheiro, Simone Soares Damasceno

Resumo


Objetivo: descrever a frequência dos diagnósticos de enfermagem em crianças hospitalizadas. Métodos: estudo transversal, realizado em uma unidade hospitalar infantil, a partir de 738 prontuários. A análise dos dados baseou-se na estatística descritiva. Resultados: identificou-se frequência de 2.100 diagnósticos de enfermagem distribuídos em 15 conceitos de diagnósticos, seis domínios e 12 classes, conforme a Taxonomia II da NANDA-I. Os mais prevalentes foram: padrão respiratório ineficaz (18,7%), hipertermia (15,2%), padrão de sono prejudicado (11,1%), nutrição desequilibrada: menor do que as necessidades corporais (10,8%), medo (9,3%), dor aguda (7,1%) e diarreia (6,7%). Conclusão: foram descritos cinco diagnósticos de enfermagem mais incidentes em crianças hospitalizadas “padrão respiratório ineficaz”, “hipertermia”, “diarreia” “medo” e “dor aguda”. Destes, os três primeiros apresentam estreita relação com as condições que determinam as maiores causas de hospitalização na infância: infecções respiratórias agudas e gastroenterites.

Palavras-chave


Processo de Enfermagem; Criança Hospitalizada; Diagnóstico de Enfermagem.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15253/rev%20rene.v18i6.31084

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob Creative Commons – Licença CC BY  https://creativecommons.org/licenses/

 Marca ABEC Completa