O papel repelente das instituições

Resumo

A qualidade do cuidado carece de maior atenção e humanização aos usuários, não apenas no que se refere à construção da empatia, mas também, em relação à superação de barreiras institucionais que podem funcionar, como fatores decisivos, para a adesão e o acesso pleno aos serviços. Essas barreiras, não são apenas resultado de mecanismos institucionais ou sociojurídicos que regulam o funcionamento das instituições; elas se colocam também, e, sobretudo, no cerne das relações e interações entre profissionais e usuários do sistema.

Referências

Bourdieu P. Razões práticas: sobre a teoria da ação. Campinas: Papirus; 2011.

Lipsky M. Street-level bureaucracy: dilemmas of the individual in public services. New York: Russell Sage Foundation; 1980.

Bourdieu P, Saint-Martin M. As categorias do juízo professoral. In: Nogueira MA, Caiani A, organizadores. Escritos de educação. Petrópolis: Vozes; 1998. p.185-216.

Fernandes FL, Swinney A, McMillan S, MacLeay D, McGhee J, Graham W, et al. Rehabilitation doxa and practitioner judgment. Symbolic drivers for health care in the Scottish prison system. Ciênc Saúde Coletiva. 23(9):2869-77. doi: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232018239.13412018

Publicado
2019-02-26
Seção
Editorial