Protótipo de curso EaD online sobre anomalias craniofaciais para cirurgiões-dentistas da atenção primária

Palavras-chave: Anomalias craniofaciais., Estratégias em Saúde, Educação em Saúde, Educação a distância

Resumo

Introdução: As anomalias craniofaciais não constam como prioritárias nas linhas de cuidado da atenção primária e seu tratamento é oferecido em centros de referência especializados. Contudo, há a necessidade de formação para que cirurgiões-dentistas estejam aptos a realizar o atendimento e o acompanhamento odontológico do indivíduo com a anomalia craniofacial, reduzindo seu itinerário terapêutico. Corroborando com a proposta de Educação permanente no SUS, optou-se pela modalidade EaD online para qualificação profissional de forma indissociada de sua prática sem limitações de tempo e espaço. Objetivo: descrever o processo de desenvolvimento de um curso a distância sobre anomalias craniofaciais para cirurgiões-dentistas da atenção primária. Métodos: Foi adotada a terceira etapa (fase de desenvolvimento) do modelo ADDIE. A etapa de elaboração envolveu o momento da definição, das estratégias de ensino, dos recursos didáticos, das ferramentas e tecnologias e das modalidades de avaliação. Resultados: Foram obtidos, como produtos do estudo, o plano de ensino e o guia do curso. Cada etapa da elaboração dos produtos foi discutida com a literatura pertinente, potencializando os aspectos pedagógicos do curso. Conclusão: O protótipo do curso seguiu padrões da literatura para estruturação de curso EaD, viabilizando potencial pedagógico adequado à realidade dos cursistas do público-alvo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cínthia Ferreira Alves, Secretaria de Saúde do Recife (SESAU)

Residente de Odontologia em Saúde Coletiva. Programa de Residência em Saúde, Secretaria de Saúde do Recife – SESAU.

Edilma da Cruz Cavalcante, Secretaria de Saúde do Recife

Residente de Odontologia em Saúde Coletiva. Programa de Residência em Saúde, Secretaria de Saúde do Recife – SESAU.

Erivelton Pinto Coutinho, Secretaria de Saúde do Recife – SESAU.

Residente de Odontologia em Saúde Coletiva. Programa de Residência em Saúde, Secretaria de Saúde do Recife – SESAU.

Amanda Almeida de Oliveira, Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira

Doutora em Odontologia. Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira - IMIP

Manoela Almeida Santos da Figueira, Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira

Doutora em Odontologia. Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira - IMIP

Rui Manuel Rodrigues Pereira, Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira

Doutor em Clínica Cirúrgica. Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira - IMIP.

Referências

Monlleó IL. Anomalias craniofaciais, genética e saúde pública: contribuições para o reconhecimento da situação atual da assistência no Sistema Único de Saúde. Campinas: Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), 2004. Dissertação de Mestrado.

Monlleó IL, Gil-da-Silva-Lopes VL. Anomalias craniofaciais: descrição e avaliação das características gerais da atenção no Sistema Único de Saúde . Cad. Saúde Pública. Rio de Janeiro. 2006 mai; 22(5): 913-922.

Word Health Organization. Global strategies to reduce the health-care burden of craniofacial anomalies. Geneva: Word Health Organization.2002.

Freitas JAS, Neves LT, Almeida ALPF, Garib DG, Trindade-Suedam IK, Yaedú RYF, et al. Rehabilitative treatment of cleft lip and palate: experience of the Hospital for Rehabilitation of Craniofacial Anomalies/USP (HRAC/USP) - Part 1: overall aspects. J Appl Oral Sci. 2012; 20(1):9-15.

Murray JC. et al. Clinical and epidemiologic studies of cleft lip and palate in the Philippines. CleftPalateCraniofac. J. Lewiston. 1997 jan; 34(1):7-10.

Mendoza RL. Public Health Policy and Medical Missions in the Philippines: The Case of Oral-Facial Clefting. Asia-Pacific Journal of Public Health. 2009; 21(1):94-103.

Mendes M, Silveira MM, Costa FS, Schardosim LR. Avaliação da percepção e da experiência dos cirurgiões-dentistas da rede municipal de Pelotas/RS no atendimento aos portadores de fissuras labiopalatais. RFO. Passo Fundo. 2012 mai/ago; 17(2): 196-200.

Almeida AMFL, Lima Chaves SCL, Santos CML, Santana SF. Atenção à pessoa com fissura labiopalatina: proposta de modelização para avaliação de centros especializados, no Brasil. Saúde em Debate. 2017; 41:156-166.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação em Saúde. A educação permanente entra na roda: polos de educação permanente em saúde: conceitos e caminhos a percorrer. Brasília (DF), Ministério da Saúde,2004.

Da Silva CT, Souto VT, Roso CC, Terra MG. Educação permanente em saúde: percepção de profissionais de uma residência multidisciplinar. Revista de Enfermagem da UFSM. 2013; 3:627-635.

Moran JM. O que é educação a distância. 2002. Disponível em: ww2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2013/12/dist.pdf . Acesso em: 22 de Fevereiro de 2020.

Zaina LAM, Ruggiero WV, Bressan G. Metodologia para acompanhamento do aluno através da web. Revista brasileira de informática na educação. 2004; 1:12-20.

Gottardi ML. A autonomia na aprendizagem em educação a distância: competência a ser desenvolvida pelo aluno. Associação Brasileira de Educação à Distância. Faculdade da Serra Gaúcha (FSG). 2015;14.

Cezar DM, Costa MR, Magalhães CR. Educação a distância como estratégia para a educação permanente em saúde? Em Rede – Revista de Educação a Distância. 2017;4(1).

Brasil. Ministério da Educação. Referenciais de Qualidade para Educação Superior a Distância. 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/referenciaisead.pdf . Acesso em: 22 de Fevereiro de 2020.

Ribeiro MAS, Lopes MHBM. Desenvolvimento, aplicação e avaliação de um curso a distância sobre tratamento de feridas. Rev Latino-Am Enfermagem. 2007; 14:77-84.

Gava TBS; Nobre IAM; Sondermann DVC. O modelo ADDIE na construção colaborativa de disciplinas a distância. Informática na Educação: teoria e prática. Porto Alegre. 2014 jan/jun; 17(1):111-124.

Junges KS, Povaluk M, Santos VS. O planejamento como elemento norteador da qualidade do processo de ensino e aprendizagem na educação a distância. PUCPR. 2009.

Santiago LML, Ramos RF, Joye CR. Sistema de gestão e planejamento de conteúdos didáticos digitais para EaD . Braz. J. of Develop. Curitiba. 2019 mar; 5(3): 2219-2234.

Filatro A. Design instrucional na prática. São Paulo. Pearson Education do Brasil.2008.

Coutinho EP. Estratégia Educacional para Cirurgiões-Dentistas da Atenção Primária: Fase de Análise do Modelo ADDIE. Recife: Secretaria de Saúde (SESAU-PE), 2019. Trabalho de Conclusão da Residência em Odontologia em Saúde Coletiva.

Cavalcante EC. Estratégia Educacional para Cirurgiões-Dentistas da Atenção Primária: Fase de Desenho do Modelo ADDIE. Recife: Secretaria de Saúde (SESAU-PE), 2019. Trabalho de Conclusão da Residência em Odontologia em Saúde Coletiva.

Oliveira JM. Subsídios para Formulação de um Curso de Desenho Instrucional. Brasília. Enap.2011.

Ministério da Saúde. Resolução nº 510, de 7 de Abril de 2016. O Plenário do Conselho Nacional de Saúde em sua Quinquagésima Nona Reunião Extraordinária, realizada nos dias 06 e 07 de abril de 2016, no uso de suas competências regimentais e atribuições conferidas pela Lei n o 8.080, de 19 de setembro de 1990, pela Lei n o 8.142, de 28 de dezembro de 1990, pelo Decreto n o 5.839, de 11 de julho de 2006. Disponível em:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/cns/2016/res0510_07_04_2016.html. Acesso em: 02 de nov. de 2018.

Neto AT, Anacleto JC, Neris VPA. Padrões para Apoiar o Projeto de Material Instrucional para EAD. Departamento de Computação – Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), São Carlos – SP – Brasil. 2005.

Bloom BS. Taxonomia de objetivos educacionais, Manual: O domínio cognitivo. David McKay, Nova Iorque. 1956; 1:262.

Liebman, J. Teaching Operations Research: Lessons from Cognitive Psychology. Interfaces. 1998; 28 (2):104-110.

Vargas FMA, Trindade MCN, Gouveia GDA, Farias MR. A Educação a Distância na Qualificação de Profissionais para o Sistema Único De Saúde: metaestudo. Trabalho, Educação e Saúde. Rio de Janeiro. 2016 dez; 14(3):849-870.

Nascimento CMB, Lima MLLT, Sousa FOS, Novaes MA, Galdino DR, Silva ÉCH, Leitão GGS, Silva TPS. Telefonoaudiologia como estratégia de educação permanente na atenção primária à saúde no Estado de Pernambuco. Revista CEFAC. São Paulo. 2017 Jun; 19(3): 371-380.

Moreira MM, Araújo ACU, Torres ALMM, Joye CR, Neto HB. Ensaio teórico sobre o Design Instrucional Contextualizado e as Estratégias Didáticas na Elaboração de Material Didático para EaD Online. Revista de Educação a Distância- Em Rede. 2019; 6(1).

Moreira MM, Araújo ACU, Torres ALMM, Joye CR, Neto HB. Ensaio teórico sobre elaboração de material didático de matemática para EaD online: estratégias didáticas em foco. In: XVIII Congresso de História da Educação do Ceará, 2018, Sobral. Tecnologias da Educação: passado, presente e futuro. Fortaleza. UFC. 2018.

Carvalho LV, Carvalho AT, Áfio ACE, Silva ASR, Silva MG, Pagliuca LMF. Construção de tecnologia assistiva na modalidade curso online para cegos sobre hipertensão arterial. Rev Bras Enferm [Internet]. 2018; 71(4):2085-91.

Onari DY, Yonezawa WM. O papel do design na produção de jogos digitais educacionais para o ensino de ciências. In: Coutinho, S. G.; Moura, M.; Campello, S. B.; Cadena, R. A.; Almeida, S. (eds.). Proceedings of the 6th Information Design International Conference, 5th InfoDesign, 6th Congic [= Blucher Design Proceedings]. São Paulo: Blucher. 2014; 1(2).

Barreiro RMC. Um Breve Panorama sobre o Design Instrucional. Rev. EaD em Foco. 2016; 6(2).

Hood N, Littlejohn A. MOOC Quality: the need for new measures. Journal of Learning for Development - JL4D. 2016; 3(3):28-42.

Publicado
2020-12-22