O Movimento dos Atingidos por Barragens

interpelando o debate do desenvolvimento no Brasil e na Amazônia

Resumo

O presente texto faz parte de uma pesquisa de dissertação de mestrado defendida no Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPB. Como recorte, esse texto se propõe a identificar e analisar os saberes e representações sociais oriundos da experiência de luta e resistência do Movimento dos Atingidos por Barragem (MAB). Para tanto, essa pesquisa teve uma abordagem qualitativa, envolvendo pesquisa bibliográfica, documental e de campo. Dentre os referenciais usados na pesquisa, esse texto assenta-se na noção de “Ecologia de Saberes” de Boaventura Santos e na noção de “Representação Social” de Serge Moscovici. Como resultado, verifica-se a contribuição desse Movimento para demarcar posições conflitantes com a lógica dominante e trazer à baila novos temas e atores, que interpelam o debate do desenvolvimento. Palavras-chave: MAB; Representação Social; Saber; Desen-
volvimento.

Biografia do Autor

Sergio Roberto Moraes Corrêa, Universidade do Estado do Pará, Programa de Pós-Graduação em Educação.

Docente-pesquisador da Universidade do Estado do Pará, Vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação e ao Departamento de Filosofia e Ciências Sociais. Doutor em Ciências Sociais e Coordenador do Grupo de Estudo e Pesquisa em Desenvolvimento, Educação e Trabalho na Amazônia.

Referências

ACOSTA, Alberto. O bem viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. São Paulo: autonomia literária. Elefante, 2016.

ALVES FILHO, A. A Política dos Governos Militares na Amazônia. In: ALVES FILHO, A. et al. Pontos de História da Amazônia. Volume II. Belém-PA: Produção Independente, 1999, pp.34-48.

CASANOVA, Pablo G. Colonialismo interno [una redefinición]. In: BORON, Atilio et al (Orgs). Teoria marxista hoje: problemas e perspectivas: Buenos Aires. Clacso, 2006.

COSTA, R. H. da. O Mito da Desterritorialização: do “fim dos territórios” à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004.

CHAUI, M. A Ética da Política. Entrevista. In: CHAUÍ, M. et al. Leituras da Crise: diálogos sobre o PT, a democracia brasileira e o socialismo. [entrevistador: Juarez Guimarães]. São Paulo: Perseu Abramo, 2006, pp.17-57.

DIEGUES, A. C. Modelo Econômico e os Modos de Vida: Confrontos e Alternativas no Sul do Pará. In: DIEGUES, A. C (Org). Desmatamento e modos de vida na Amazônia. São Paulo: NUPAUB, 1999, pp.27-94.

FERNANDES, Florestan. A Revolução Burguesa no Brasil: ensaios de interpretação sociológica. Rio de Janeiro, Guanabara:1987.

FURTADO, C. O mito do desenvolvimento econômico. 3ªed., São Paulo: Circulo do livro, 1996.

PORTO-GONÇALVES, C. W. Amazônia, Amazônias. 2ª.ed., São Paulo: Contexto, 2005.

______. Da Geografia às geo-grafias: um mundo em busca de novas territorialidades, 2001. In: http://bibliotecavirtual.clacso.org.ar/ar/libros/cecena/porto.pdf, acesso em 14 de maio de 2014.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere, v.3: Maquiavel: notas sobre o Estado e a política. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

JOVCHELOVITCH, S. Vivendo a vida com os outros: intersubjetividade, espaço público e representações sociais. In: GUARESCHI, P; JOVCHELOVITCH, S (Orgs). Textos em Representações Sociais. 7ª Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1995, pp.63-88.

LOUREIRO, V. R. Pressupostos do Modelo de Integração da Amazônia Brasileira aos Mercados Nacional e Internacional em Vigência nas Últimas Décadas: a modernidade às avessas. In: COSTA, M. J. J (Org). Sociologia na Amazônia: debates teóricos e experiências de pesquisa. Belém-Pa: Universidade Federal do Pará, 2001, pp. 47-70.

MARTINS, J. S. A Sociedade vista do Abismo. Novos estudos sobre exclusão, pobreza e classes sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 2002.

MAB. A Organização do Movimento dos Atingidos por Barragem. In: MAB. 1ª ed. Brasília-DF: 2005.

______. Uma História de Organização e Luta. Parte 01. [s.l.: s.n.]. In: www.mabnacional.org.br, acesso em 25 de abril de 2006.

______. Ditadura contra as populações atingidas por barragem. In: MAB. Brasília-DF: Caderno de Formação nº 08 (Secretaria Nacional do MAB), Maio de 2004.

______. MAB: Uma história de luta, desafios e conquistas. In: MAB. São Paulo: Caderno de Formação nº 07 (Secretaria Nacional do MAB), 2002.

MONTENEGRO GÓMEZ, J. R. Desenvolvimento em (des)construção: narrativas escalares sobre desenvolvimento territorial rural. 2006. Tese (Doutorado em Geografia). Programa de Pós-Graduação em Geografia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Estadual Paulista – UNESP, São Paulo, 438p.

MOSCOVICI, S. A representação social da psicanálise. Trad. por Álvaro Cabral. Rio de Janeiro: Zahar, 1978.

______. Representações Sociais: Investigações em Psicologia Social. Trad. Pedrinho A. Guareschi. Rio de Janeiro: Vozes, 2003.

PEREIRA DE SÁ, C. Representações sociais: o conceito e o estado atual da teoria. In: SPINK, Mary J. P. (Org). O conhecimento no cotidiano: as representações sociais na perspectiva da psicologia social. São Paulo: Brasiliense, 1995, pp.19-45.

SANTOS, B. de S. S; RODRIGUES, C. (Introdução): Para ampliar o cânone da produção. In: SANTOS, B. de S. S (Org). Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005, pp. 23-78.

SANTOS, B. de S. S; et al. (Introdução): Para ampliar o cânone da ciência: a diversidade epistemológica do mundo. In: SANTOS, B. de S. S (Org). Semear outras soluções: os caminhos da biodiversidade e dos conhecimentos rivais. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005, pp. 21-122.

SANTOS, B. de S. S; NUNES, J. A. (Introdução): Para ampliar o cânone do reconhecimento, da diferença e da igualdade. In: SANTOS, B. de S. S (Org). Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, pp. 25-68.

SANTOS, B. de S. S. Uma Sociologia das Ausências e uma Sociologia das Emergências. In: SANTOS, B. de S. S (Org). A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006a, pp. 93-136.

______. A Ecologia dos Saberes. In: SANTOS, B. de S. S (Org). .A gramática do tempo: para uma nova cultura política. São Paulo: Cortez, 2006b, pp. 137-166.

______. Um discurso sobre as ciências. 3ª ed. São Paulo: Cortez, 2005a.

SANTOS, B. de S. S (Org). Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. 2ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005b.

SANTOS, B. de S. S. (Org). Semear outras soluções: os caminhos da biodiversidade e dos conhecimentos rivais. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005c.

______. Introdução. In: SANTOS, B. de S. S (Org). Conhecimento Prudente para uma Vida Decente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo: Cortez, 2004a, pp. 17-58.

______. Para uma Sociologia das Ausências e uma Sociologia das Emergências. In: SANTOS, B. de S. S (Org). Conhecimento Prudente para uma Vida Decente: um discurso sobre as ciências revisitado. São Paulo: Cortez, 2004b, pp. 777-821.

______. Os processos de globalização. In: SANTOS, B. de S. S (Org). A Globalização e as ciências sociais. 2ª ed., São Paulo: Cortez, 2002, pp. 25-104.

______. A crítica da Razão Indolente: contra o desperdício da experiência. São Paulo: Cortez, 2001.

VAINER, C. Águas para a vida, não para a morte. Notas para uma história do movimento de atingidos por barragens no Brasil. In: ACSELRAD, H., et al (Org). Justiça Ambiental e Cidadania. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004, pp.1-24.

Publicado
2019-02-20