VOLUNTARIADO FILANTRÓPICO: HUMANISMO SALVADOR E GESTÃO SOCIAL

  • Delma Pessanha Neves Universidade Federal Fluminense - UFF

Resumo

O artigo apresenta a análise de um conjunto de questões constitutivas do atual fenômeno de expansão do voluntariado filantrópico e de sua interseção com a constituição de novos padrões de ação estatal. Destaca os cuidados metodológicos inerentes aos procedimentos analíticos, elegendo como unidades de análise o campo institucional da caridade e o ideário da sociedade solidária, referenciador de programas sociais estatais. Consequentemente, considera o debate em torno da concorrente atribuição de significados à pobreza e aos pobres escolhidos como beneficiários das ações sociais filantrópicas (privadas e públicas).

Biografia do Autor

Delma Pessanha Neves, Universidade Federal Fluminense - UFF

Professora do PPGACP-Programa de Pós-Graduação em Antropologia e Ciência Política da Universidade Federal Fluminense e pesquisadora do  CNPq/Departamento de Antropologia/UFF.

Referências

ÉLES, Marc (2002). Les nouveaux riches. Un ethnologue dans la Silicon Valley. Paris: Editions Odile Jacob.

BARRET-DUCROCQ, Françoise (1991). Pauvreté, charité et morale à Londres au XIXe siêcle. Une sainte violence. Paris: Presses Universitaires de France.

BURDIEU, Pierre (1980). Questions de sociologie. Paris: Éditions de Minuit.

___ "A demissão do Estado". BOURDIEU, P. (org.) (1997). A miséria do mundo. Petrópolis: Vozes, 215-224.

BRÉBANT, Brigitte (1984). La pauvreté, un destin? Paris: L'Harmattan.

CASTEL, Robert (1995). Les métamorphoses de la question sociale. Une chronique du salariat. Paris: Fayard,

FERRAND-BECHMANN, Dan (2000) - Le métier de bénévole. Paris: Anthropo

GOHN, Maria da Glória (1997). Os Sem-Terra, ONGs e Cidadania. São Paulo: Cortez.

GUESLIN, André (1998). Gens pauvres, pauvres gens dans la France du XIXe siêcle. Paris: Aubier.

GUILHERME DOS SANTOS, Wanderley (1979). Cidadania e justiça. Rio de Janeiro: Campus.

LANDIM, Leilah (1995) "Apresentação". Pobreza e Trabalbo Voluntário. Estudos sobre a ação social católica no Rio de Janeiro. Projeto Filantropia e Cidadania. Textos de Pesquisa. Rio de Janeiro, Núcleo de Pesquisa do ISER:5-6.

LYET, Philippe (997). L 'organisation du bénévolat caritatif Paris: L'Harmattan.

MOLLAT, Michel (1978). Les pauvres au Moyen Age. Étude sociale. Paris: Hachette.

NEVES, Delma Pessanha (983)."Mendigo: o trabalhador que não deu certo", Revista Ciência Hoje, N º 4, Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, RJ.: 15-27.

___ (1994). "la misêre en spetacle". Cabiers du Brésil Conternporain Nº 25/26. Maison des Sciences de l'Homme. Centre de Recherches sur le Brésil Contemporain. Paris: 61-80.

___ (1995a). "A Miséria em espetáculo". Serviço Social e Sociedade Nº 47 Ano XVI: 79-88.

___ (1995b). "A trajetória da população de rua e suas estratégias de sobrevivência". ROSA, Cleisa M.M. População de Rua Brasil e Canadá, São Paulo, Ed Hucitec: 34-38, 61-70.

__¬¬¬¬ (1998). A transmissão de patrimônios: potencialidades metodológicas da situação extrema. Trabalho apresentado no GT Padrões de Herança, organização social e questão ambiental no meio rural brasileiro. XXI Reunião da Associação Brasileira de Antropologia, Vitória, 5 a 9 de abril de 1998.

___ (1999). "Os miseráveis e a ocupação dos espaços públicos". Cadernos CRHvol.30-31, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 1999: 111-134.

___ (2001) "Os chamados e os escolhidos". Revista Fronteiras. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis (no prelo).

___ (2002a). "O legado da pobreza e a inserção geracional". Revista Ilha, Universidade Federal de Santa Catarina (no prelo).

___ (2002b) "Matricentralidade, indigência e enraizamento familiar". Cadernos CERU Série 2, n.º 13: 211-230.

___ (2002c). "Apresentação. A gestão da precária inserção geracional". Cadernos ICHF, n.º 78, Niterói, ICHF/UFF,2002c.

___ (2002d). "La pauvreté comme legs. Le travail des enfants dans l'État de Rio de Janeiro". Etudes rurales. exclusions. Paris, v. 159: 55-72.

___ (2002e)."Precarização social, tutela filantrópica e voluntariado". MOTA, Márcia e Piñeiro, Théo Lobarinhas - Voluntariado e Universo Rural. Niterói, Ed. Vício de Leitura: 9-41.

___ (2002). "Voluntariado, humanismo salvador e fronteiras de classes". Trabalho apresentado no Simpósio. fronteiras de classes, antigas alfândegas, novas chancelas. Gramado, 23ª Reunião da ABA.

___ (2002g). As mulheres na política municipal: as prefeitas brasileiras na gestão 2001-2004. Relatório de pesquisa encaminhado ao Núcleo de Estudos Mulher e Políticas Públicas/ IBAM/PROLID, mim. em junho de 2002 (cd-rom, 2003)

______ (2003). "Projetos de desenvolvimento: predação/sustentabilidade? Lógicas políticas e parcializações do mundo social (mim.).

OVAES, Regina C. Reyes (1995). "Introdução". Pobreza e Trabalho Voluntário. Estudos sobre a ação social católica no Rio de Janeiro. Projeto Filantropia e Cidadania. Textos de Pesquisa. Rio de Janeiro, Núcleo de Pesquisa do ISER:7-15.

PAUGAM, Serge (dir.)(1996). L'exclusion, l'état des savoirs. Paris: La Découverte.

SALMON, Jean-Marc (1998). Le désir de société. Des restaurants du coeur au rnouvement des chômeurs. Paris: La Découverte.

SARTI, Cynthia Andersen (1996). A família como espelho. Um estudo sobre a moral dos pobres. São Paulo: Editora Autores Associados.

SASSIER,Philippe (1990). Du bom usage des pauvres. Histoire d'une therne politique XVI-XX siécle. Paris: Fayard.

SILVA,Hélio R.S. e MILITO, Cláudia (1995). Vozes do meio fio. Etnografia. Rio de janeiro: Relume-Dumará.

STOFFELS, Marie-Gislaine (1977). Os mendigos na cidade de São Paulo. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

TELLES, Vera da Silva (1990). "Pobreza como condição de vida. Família, trabalho e direito entre as classes trabalhadoras urbanas". São Paulo em perspectiva Nº 4(2), abril-junho: 37-45.

VIEIRA, Maria Antonieta da Costa et ali (1992). População de rua: quem é, como vive, como é vista. São Paulo: HUCITEC.

WEBER, Max (1990). Le savant et le politique. Paris: Plon. 2003

Publicado
2018-10-29