TRABALHADORES, SINDICATOS E NOVAS ÁREAS INDUSTRIAIS NO BRASIL

  • José Ricardo Ramalho Universidade Federal do Rio Janeiro
  • Marco Aurélio Santana UNIRIO

Resumo

O objetivo desse artigo é analisar o envolvimento de trabalhadores metalúrgicos e de seus sindicatos locais nos processos de transformação advindos da construção, nos anos 90, de novas fábricas de automóveis em regiões brasileiras com pouca tradição industrial. O exemplo a ser analisado tem como base a experiência dos metalúrgicos da fábrica de ônibus e caminhões da Volkswagen, localizada em Resende (no Estado do Rio de Janeiro), e de seus órgãos de representação de classe. Neste sentido, estarão em tela as ações do Sindicato dos Metalúrgicos de Volta Redonda-RJ, principalmente através de sua sub-sede de Resende, e da comissão de fábrica dos trabalhadores da empresa, diante dos desafios colocados pelo "consórcio modular", expressão cunhada para descrever as inovações implantadas no processo produtivo daquela empresa.

Biografia do Autor

José Ricardo Ramalho, Universidade Federal do Rio Janeiro

Professor do Programa de Pós-graduação em
Sociologia e Antropologia (UFRJ)

Marco Aurélio Santana, UNIRIO
Professor do Mestrado em Memória Social e Documento (UNIRIO)

Referências

ABREU, A., Beynon, H. e Ramalho, J. R. (2000). "The Dream Factory: VW's Modular System in Resende". Work, Employment and Society. April 2000, UK.

ABREU, A., Gitahy, L., Ramalho, J. R., Ruas, R. (2000). "Produção flexível e relações inter-firmas: a indústria de autopeças em três regiões do Brasil".In: Abreu, Alice (Org.) Produção Flexível e Novas Institucionalidades na América Latina. Rio de Janeiro: Editora da UFR].

ANFAVEA (1996). Anuário Fstatístico- 1996. São Paulo.

ARBIX, G. (1996). Uma aposta no futuro. Os primeiros anos da Câmara Setorial da Indústria Automobilística. São Paulo: Scritta.

ARBIX, G.e Zilbovicius, M. (1997). "O Consórcio Modular da VW: um novo modelo de produção". In: Arbix, Glauco e Zilbovicius, Mauro (Orgs). De JK a FHC - A Reinvenção dos Carros. São Paulo: Scritta.

CASTRO, N. (1996). "Modernização e Trabalho no complexo automotivo brasileiro - reestruturação industrial ou japanização de ocasião?". In. Castro, Nadya (org.) A Máquina e o Equilibrista – inovações na indústria automobilística brasileira. São Paulo: Paz e Terra.

___. (1997). "Reestruturação produtiva, novas institucionalidades e negociação da flexibilidade". São Paulo em Perspectiva, Vol.ll, N.1, São Paulo: Fundação SEADE.

GALVÃO, Andréia (1998). "Os metalúrgicos do ABC e a câmara setorial da indústria automobilística". Revista de Sociologia e Política, Ns. 10 e 11, Curitiba: UFPR.

MANGABEIRA, Wilma (1993). Os Dilemas do Novo Sindicalismo. Rio de Janeiro: Relume Dumará/ Anpocs.

MOREL, Regina (2001). "A construção da 'família siderúrgica': gestão paterna lista e empresa estatal". In. Ramalho, J. R. e Santana, M. A. (orgs.) (2001). Trabalho e tradição sindical no Rio de janeiro: a trajetória dos metalúrgicos. Rio de Janeiro: DP&A/FAPERJ.

NABUCO, M. Regina; Neves, M. de Almeida; Neto, A. M. de Carvalho (Orgs) (2002). Indústria Automobilística: a nova geografia do setor produtivo. Rio de Janeiro: DP&A.

PACHECO, C.A. (1999). "Novos Padrões de Localização Industrial? Tendências Recentes dos Indicadores da Produção e do Investimento Industrial". IPEA Textos para a Discussão, nº 633. Brasília: IPEA.

RAMALHO, J.R. (1997). "Precarização do trabalho e impasses da organização coletiva no Brasil". In. Antunes, Ricardo (Org) Neoliberalismo, Trabalho e Sindicatos. São Paulo: Boitempo Editorial.

___. (1999). "Organização Sindical e a Instalação de Novas Fábricas do Setor Automotivo: o caso do Sul Fluminense" (999). In: Rodrigues, I. (org.) Novo Sindicalismo vinte anos depois. RJ, SP: Vozes/ EDUC/Unitrabalho.

RAMALHO,J. R. e Santana, M. A. (orgs.) (2001). Trabalho e tradição sindical no Rio de janeiro: a trajetória dos metalúrgicos. Rio de Janeiro: DP&A/FAPERJ.

RAMALHO, J. R. e Santana, M.A. (2002a). "A indústria automobilística no Rio de Janeiro: relações de trabalho em um contexto de desenvolvimento regional". In. Nabuco, M. Regina; Neves, M. de Almeida; Neto, A. M. de Carvalho (orgs.) Indústria Automobilística: a nova geografia do setor produtivo. Rio de Janeiro: DP&A.

RAMALHO, J. R. e Santana, M. A. (2002b). "Working in the 'modular system': a profile of workers in the new VW experience". Paper apresentado no 10th GERPISA International Colloquium Paris: June.

RAMALHO, J. R. e Santana, M.A. (2002c). "The VW's modular system and workers' organisation in Resende, Brazil", International journal of Urban and Regional Researcb, V. 26.4., Oxford (Reino Unido): Blackwells.

RAMALHO,J. R. e Santana, M.A. (2002d). "Um perfil dos Metalúrgicos da Volkswagen de Resende - RJ". Rio de Janeiro, Unitrabalho/UFRJ, mimeo.

RODRÍGUEZ-POSE, A. e ARBIX, G. (1999). "Estratégías do Desperdício - A Guerra entre Estados e Municípios por Novos Investimentos e as Incertezas do Desenvolvimento". Novos Estudos CEBRAP, número 54, julho. São Paulo .

SALERNO, M. S. (1997). "A Indústria Automobilística na virada do século". In. Arbix, Glauco e Zilbovicius, Mauro (Orgs). De JK a FHC - A Reinvenção dos Carros. São Paulo: Scritta.

SANTANA, Marco A. (2000a). "Trabalho, trabalhadores e sindicatos em meio ao vendaval contemporâneo". Dados, vol. 43, nº 2, Rio de Janeiro, IUPERJ.

___. (2000b). "As centrais sindicais brasileiras e a reestruturação produtiva". Sociologias. Porto Alegre, V. 4, p. 186-225, 2000

___. (2002). "O sindicalismo brasileiro nos anos 1980/2000: do ressurgimento à reorientação". Cadernos Adenauer. Rio de Janeiro: Fundação Konrad Adenauer.

SINDIPEÇAS (1997). O desempenho do setor de autopeças - 1996. São Paulo.

SOUZA, D.; Santana, M.A. e Deluiz, N. (1999). Trabalho e educação: centrais sindicais e reestruturação produtiva no Brasil. Rio de Janeiro: Quartet.

STEWART, Paul et al (2001) "Control for whom? Work organisation automobile industry in the North America". Actes du GERPISA, nº 30, Paris, October 2001.

Publicado
2018-10-29