REVISITANDO A ECOLEXICOGRAFIA

Autores

  • Davi Borges de Albuquerque

Resumo

O termo ‘ecolexicografia’ foi proposto primeiramente por Sarmento (2000). A Ecolexicografia pode ser definida de duas maneiras: uma ciência que, formada a partir das duas áreas supracitadas existentes no próprio termo (Ecolinguística e Lexicografia), busca apresentar teorias e metodologia próprias para a elaboração de obras ecolexicográficas; uma técnica que fornece elementos para a elaboração e análises macroestruturais e microestruturais. Esta disciplina não trata da elaboração de dicionário de Ecologia ou de termos ecológicos, mas de um trabalho de reflexão e elaboração dos verbetes dos dicionários pensando nos efeitos e resultados que cada lexema traz aos indivíduos (espécie interagindo dentro do ecossistema) e para o planeta (o ecossistema), além de trazer definições e abonações que estejam mais em acordo com a visão ecológica de mundo, mas tudo isso sem perder de vista o uso da língua. De acordo com o que foi exposto, o presente trabalho visa ampliar teórica e metodologicamente a proposta ecolexicográfica original, por meio da discussão de conceitos da linguística ecossistêmica e suas possíveis contribuições à ecolexicografia e apresentar subsídios para uma Metaecolexicografia. Como um dos resultados, o que se busca é fazer um apelo aos ecolinguistas, que parecem ter esquecido, ou ao menos negligenciado, esta área da Ecolinguística, enfatizando os benefícios que podem vir do trabalho ecolexicográfico tanto para a comunidade científica, como para a comunidade escolar.

Palavras-chave: Ecolinguística. Ecolexicografia. Lexicografia. Linguística ecossistêmica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2018-12-03

Como Citar

ALBUQUERQUE, Davi Borges de. REVISITANDO A ECOLEXICOGRAFIA. Revista de Letras, [S. l.], v. 2, n. 37, p. 135–147, 2018. Disponível em: http://periodicos.ufc.br/revletras/article/view/52992. Acesso em: 25 jul. 2024.