A CONTRARREFORMA DO ENSINO MÉDIO E OS RUMOS DA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO BRASIL

  • Shilton Roque dos Santos IFRN - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte
  • Marcio Adriano Azevedo IFRN - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte
Palavras-chave: Ensino Médio, Educação Profissional, Reformas, Mediotec.

Resumo

O artigo analisa o contexto da contrarreforma do Ensino Médio, suas implicações para a Educação Profissional e sua inserção num quadro maior de contrarreformas que marcam um novo circuito histórico para a Educação Profissional no Brasil. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica e documental, que se utiliza das categorias teóricas de hegemonia de Gramsci (1991), bem como do conceito de politecnia de Saviani (1989), da compreensão de Escola Politécnica de Pystrak (2005) e de formação humana integrada de Moura, Lima Filho e Silva (2015), para analisar a Contrarreforma do Ensino Médio paralelamente à reforma trabalhista e a Emenda constitucional de congelamento dos Gastos Públicos e suas implicações para a sociedade brasileira, em especial seus reflexos para a Educação Profissional. Conclui-se que apesar da contrarreforma do Ensino Médio estar alinhada com as demais reformas empreendidas pelo Estado brasileiro e que esta aprofunda um quadro histórico de dualidade na educação brasileira, esse processo, por ser político, por trazer em seu cerne os prolegômenos do pensamento hegemônico com as contradições da lógica capitalista corresponde a um espaço para lutas, resistência e mobilização da sociedade por seus direitos inalienáveis.

 

Biografia do Autor

Shilton Roque dos Santos, IFRN - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte
Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte. Possui graduação em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2011), Especialista em Direito Administrativo (2012). Advogado inscrito na OAB/RN sob o número de ordem 10.269. Atualmente é assistente em administração do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte e é pesquisador em Avaliação Política, Educação Profissional e Assistência Estudantil.
Marcio Adriano Azevedo, IFRN - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte
Pós-Doutor em Sociologia da Educação pela Universidade do Minho/Portugal. Doutor em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRN. Mestrado em Educação pela UFRN. Especialista em Processos Educacionais pela UFRN e graduado em Pedagogia pela UFRN. É professor no Mestrado Acadêmico do Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional pelo IFRN.

Referências

AFONSO, Almerindo. Mudanças no Estado Avaliador: comparativismo internacional e teoria da modernização revisitada. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 18, n. 53 2013.

BRASIL. Novo Ensino Médio Dúvidas. Brasília, 2017. Disponível em: <http://portal.mec.gov.br/component/content/article?id=40361>. Acesso em: 06 dez. 2017.

BRASIL. Consulta ao E-sic de protocolo 23480014302201761 realizado pela CGU na Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. 2017b.

Os intelectuais e a organização da cultura. Tradução de Carlos Nelson Coutinho. 8. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1991.

IBGE. Educação e qualificação profissional: 2014. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em: < https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv100061.pdf> Acesso em: 15 fev. 2018.

______. Síntese de indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. 2017. IBGE, Coordenação de População e. Indicadores Sociais. Rio de Janeiro: IBGE, 2017.

______. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua: Trimestral - PNAD Contínua. 2017a. Disponível em: <https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/sociais/trabalho/2217-np-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-trimestral/9173-pesquisa-nacional-por-amostra-de-domicilios-continua-trimestral.html?&t=resultados>. Acesso em: 06 dez. 2017.

IFB. Rede Federal é destaque na principal avaliação da educação básica do mundo. [Disponibilizado em 2016, na internet] 2016. Disponível em: < http://www.ifb.edu.br/reitori/12838-rede-federal-e-destaque-na-principal-avaliacao-da-educacao-basica-do-mundo> Acesso em: 11 ago. 2017.

JÚNIA, Raquel. Mediotec: a mesma qualificação para a mesma classe social. POLI: saúde educação trabalho. Rio de Janeiro, n. 51, p. 6 -11, mai./jun. 2017.

KUENZER, Acácia. As Políticas de Educação Profissional. Uma reflexão necessária. In: MOLL, Jaqueline (Org.) Educação Profissional e Tecnológica no Brasil Contemporâneo. Desafios, Tensões e Possibilidades. Porto Alegre, 2010. p. 58 – 79.

LUKACS, George. História e Consciência de Classe: Estudos sobre a dialética marxista. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

MANCE, Euclides. O Golpe – Brics, Dólar e Petróleo / Euclides Mance. Passo Fundo: IFIBE, 2018.

MARX, Karl . Contribuição à crítica da Economia Política. São Paulo: Expressão Popular, 2008.

MARX, Karl. 18 Brumário e Cartas a Kugelmann. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2008a.

MELO, Ticiane Gonçalves Sousa de. O Pronatec e o Processo de Expansão e Privatização DA Educação Profissional no Brasil. 2015. 138f. Dissertação (Mestrado em Educação Profissional) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Natal, 2015.

MÉSZÁROS, István. A Crise Estrutural do Capital. Trad. Francisco Raul Cornejo [et al.]. São Paulo: Boitempo Editorial, 2011

MOTTA, Vânia Cardoso da; FRIGOTTO, Gaudêncio. Por que a urgência da reforma do ensino médio? Medida provisória nº 746/2016 (Lei nº 13.415/2017). Educ. Soc., Campinas v. 38,n. 139, p. 355-372. 2017.

MOURA, Dante Henrique. Ensino Médio e educação Profissional dualidade histórica e possibilidade de integração. In: MOLL, Jaqueline (Org.) Educação Profissional e Tecnológica no Brasil Contemporâneo. Desafios, Tensões e Possibilidades. Porto Alegre, 2010. p. 58 – 79.

____; LIMA FILHO, Domingos Leite; SILVA, MÔNICA RIBEIRO. Politecnia e formação integrada: confrontos conceituais, projetos políticos e contradições históricas da educação brasileira. Rev. Bras. Educ. vol.20, n.63, p. 1057-1080. 2015.

OFFE, CLAUS. Problemas estruturais do estado capitalista. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.

PISTRAK, Moisey M. Ensaios sobre a Escola Politécnica. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

SANTOS, Shilton Roque dos. Avaliação participativa de resultados sociais do PRONATEC Campo. 2018. 168f. Dissertação (Mestrado em Educação Profissional) – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.

SAVIANI, Dermeval. Sobre a concepção de politecnia. Rio de Janeiro: FioCruz, Politécnico da Saúde Joaquim Venâncio, 1989.

SCHULTZ, T. O capital humano: investimento em educação e pesquisa. Trad. de Marco Aurélio de M. Matos. Rio de Janeiro: Zahar, 1973.

TODOS PELA EDUCAÇÃO. Anuário Brasileiro da Educação Básica. 2018. São Paulo: Moderna, 2018.

Publicado
2019-03-31
Seção
Artigos