A PROPOSTA DE FORMAÇÃO DAS ESCOLAS ESTADUAIS DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL NO CEARÁ: UMA ANÁLISE À LUZ DA ESCOLA UNITÁRIA GRAMSCIANA

  • Daniele Luciano Marques
  • Antônia de Abreu Sousa

Resumo

O artigo tece reflexões sobre a proposta de educação profissional das escolas estaduais do Ceará. Vale enfatizar que essa modalidade de educação atende ao decreto 5.154/2004 que reforça a integração da Educação Profissional ao nível médio, bem como à Lei 11.741/2008 que sugere a integração da Educação Profissional aos diferentes níveis e modalidades de educação e às dimensões do trabalho, das ciências e da tecnologia. Nessa oportunidade, analisamos a escola unitária gramsciana que propõe um tipo de educação para além do imediatismo do mercado laboral. Nesse caminhar, aliamos ao estudo do desenho da educação profissional Brasileira focando as mudanças no mundo laboral, a partir da década de 1970, sobretudo sob a influência da Teoria do Capital Humano e pedagogia produtivista. Para estas apreciações recorremos a Cunha (2000) e Saviani (2008) que discutem os caminhos da Educação Profissional Brasileira. No que se refere às mudanças no mundo do trabalho, utiliza-se contribuições de Frigotto (2010;1995), dentre outros. Vale enfatizar que a pesquisa está ancorada na concepção de escola unitária de Gramsci (1989) ao propor a união entre escola do trabalho manual e escola do trabalho intelectual formando especialistas-dirigentes capaz de unir teoria e prática, em qualquer âmbito laboral, para além das especializações

Biografia do Autor

Daniele Luciano Marques
Mestranda em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará (UFC).
Antônia de Abreu Sousa
Doutora em Educação pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Docente do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE).
Publicado
2017-03-16
Seção
Artigos