Frankenstein: a trajetória errante de um monstro narrativo

  • Ricardo Jorge de Lucena Lucas Universidade Federal do Ceará (UFC).
  • Felipe Lima Rodrigues Universidade Federal do Ceará (UFC).
Palavras-chave: Frankenstein, Intertextualidade, Narrativa

Resumo

O presente artigo tem como objetivo abordar aspectos da narrativa de Frankenstein, de Mary Shelley, no que diz respeito à obra original, de 1818, e suas adaptações. A recorrência da obra e de seu personagem principal são abordadas à luz da transtextualidade de Genette (1982), da teoria da adaptação de Hutcheon (2011) e da análise pragmática da narrativa de Motta (2013), a qual destaca, entre outros níveis de análise, a abordagem metanarrativa, que dá conta da dimensão ética e moral à que a história está ligada.

Biografia do Autor

Ricardo Jorge de Lucena Lucas, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Jornalista, doutor em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco (PPGCOM-UFPe) e professor do Curso de Jornalismo e do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Ceará (PPGCOM-UFC).
Felipe Lima Rodrigues, Universidade Federal do Ceará (UFC).
Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Ceará (PPGCOM-UFC).

Referências

ALEGRETTE, Alessandro Yuri. Frankenstein: uma releitura do mito de criação. Araraquara, 2010. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.5016/DT000617939>. Acesso em 26 de outubro de 2015.

ALLEN, Graham. Intertextuality. New York: Routledge, 2000.

AMARAL, Adriana da Rosa. Uma arque-genealogia do cyberpunk: do Romantismo Gótico às Subculturas. Comunicação e Cibercultura em Philip

K. Dick. Porto Alegre: Faculdade de Comunicação Social, PUCRS. 2005.

BECKFORD, William. The history of the Caliph Vathek. E-book editado por

Henry Morley, transcrito da edição de 1881 de Cassell & Company. 2010.

GENETTE, Gérard. Palimpsestes: la littérature au second degré. Paris: Seuil, 1982.

HUTCHEON, Linda. Uma teoria da adaptação. Florianópolis: Editora UFSC, 2011.

MELLIER, Denis. La littérature fantastique. Paris: Seuil, 2000.

MOTTA, Luiz Gonzaga. Análise crítica da narrativa. Brasília: Editora UNB, 2013.

REUTER, Yves. A análise da narrativa: o texto, a ficção e a narração. Rio de Janeiro: DIFEL, 2002.

SHELLEY, Mary. Frankenstein. Tradução de Miécio Araújo Jorge Honkis. Porto Alegre: LP&M, 2011.

Publicado
2017-09-15
Seção
Artigos