Videoclipes e a experimentação de linguagens e construção de sentido

estudo do clipe Hips don’t lie – Shakira

  • Dilson Carneiro de Oliveira Universidade da Amazônia - UNAMA
  • Douglas Junio Fernandes Assumpção Universidade Feevale
  • Analaura Corradi Universidade da Amazônia - UNAMA
  • Luiza Elayne Correa Azevedo Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Resumo

Compreendeu-se interações entre publicidade e o consumo de representações simbólicas, culturais e ideológicas a partir dos elementos de som, corpo e imagem no videoclipe de Shakira - Hips Don't Lie (2006). Recorreu-se ao contrato midiático de Charaudeau (2007) e dos instrumentos de investigação do televisual de Soulages (2008). Obteve-se: hibridismo dos seguintes estratos: informação, persuasão e sedução, contudo o mais determinante é o estrato da sedução, evidente na exposição do corpo feminino através das cenas performáticas, som e imagens

Biografia do Autor

Dilson Carneiro de Oliveira, Universidade da Amazônia - UNAMA

Mestre em Comunicação, Linguagens e Cultura pela Universidade da Amazônia (2018). Especialista em Marketing pela Universidade da Amazônia (2016). Graduado em Comunicação Social com habilitação em Publicidade e Propaganda pela Universidade da Amazônia (2012). Pesquisador do Grupo de Pesquisa Capital Social e Cultura no Contexto Midiático Contemporâneo (CNPQ/UNAMA)

Douglas Junio Fernandes Assumpção, Universidade Feevale
  Pós-doutorando do Pós-gradução  em Indústria Criativa da Universidade Feevale (FEEVALE). Doutor em Comunicação e Linguagens pela Universidade Tuiuti do Paraná (UTP). Vice-Líder do Grupo de Pesquisa (GP) Estudos de Capital Social e Cultural no contexto da mídia contemporânea (UNAMA/CNPq), membro do GP Journalisme à l´heure du numérique - JAND (Université Lumiré Lyon 2 / Lyon - França) e GP ECCOS - Estudos sobre Comunicação, Consumo e Sociedade (UFPR/CNPq)
Analaura Corradi, Universidade da Amazônia - UNAMA
Doutora em Ciências Agrarias pela Universidade Federal Rural da Amazönia (UFRA). Jornalista e Professora Titular do Programa de Pós Graduação  em Comunicacao, Linguagens e Cultura da Universidade da Amazönia (UNAMA) Coordenadora do Grupo de Pesquisa Capital Social e Cultura no Contexto Midiático Contemporâneo.
Luiza Elayne Correa Azevedo, Universidade Federal do Amazonas - UFAM

Pós-Doutorado no Centro de Investigação em Artes e Comunicação - Universidade do Algarve (UAlg), Doutora em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido - Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA) - Universidade Federal do Pará ).

Referências

AZEVEDO LUÍNDIA, L.; CORRADI, A. Amazônia: publicidade turística em portais. Revista Memórias - Universidad Cooperativa da Colombia, v. 10, n. 17, p. 45-56, 2012. Disponível em <http://revistas.ucc.edu.co/index.php/me/article/view/123/124>. Acesso em 20 de novembro de 2016.

BARRETO, J. Música & Mass Media. In: Culturgest, 2006. Disponível em . Acesso em 16 de julho de 2018.

CHARAUDEAU, P. Discurso das Mídias. São Paulo: Contexto, 2006

.CHARAUDEAU, P. Les stéréotypes, c’est bien, les imaginaries, c’est mieux. In: BOYER, H. Stéréotypage, stérétypes: fonctionnments ordinnaries et mises em scène. Langue(s), discourse. Paris: Harmattan, vol. 4, p. 49-63, 2007.

CHARAUDEAU, P. Linguagem e Discurso: Modos de Organização. São Paulo: Contexto, 2008.

CHARAUDEAU, P. Visadas discursivas, gêneros situacionais e construção textual. In: MACHADO, I.L.; MELLO, R. Gêneros reflexões em análise do discurso. Belo Horizonte: NAD/Fale-UFMG, 2004.

CORREA, L. Uma breve história do videoclipe. In: VIII Congresso de Ciências da Comunicação na Região Centro-Oeste (Intercom) – Mato Grosso. Cuiabá, 2007. Disponível em: <http://www.intercom.org.br/papers/regionais/centrooeste2007/resumos/R0058-1.pdf>. Acesso em 16 de agosto de 2018.

COURTINE, J-J. Discours et image: semiologie des messages mixtes. Paris: Université Sorbonne-Nouvelle, 2006.

DANCYGER, K. Técnicas de Edição para Cinema e Vídeo. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

FAIRBANKS, B.; HEIGL, A.; MACKAY, A. The 50 Sexiest Music Videos of All Time. 2012 Disponível em <http://www.nerve.com/entertainment/50-sexiest-music-videos-time>. Acesso em 20 de agosto de 2016.

FAIRCLOUG, N. Discurso e mudança social. Brasília: Universidade de Brasília,, 2001.

FERREIRA, W. R. V. O caos semiótico: comunicação no final do milênio: ensaios de crítica da comunicação. São Paulo: Terra Editora, 1996.

LIPOVESKY, G. Sedução, publicidade e pós modernidade. Revista FAMECOS, Porto Alegre, n. 12, p.7-13, jun. 2000. (Mídia, cultura e tecnologia), 2002

MACHADO, A. A televisão levada a sério. SP: SENAC, 2000.

MARTEL, F. Mainstream: a guerra global das mídias e das culturas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

NERCOLINI, M.; HOLZBACH, A. Videoclipe em tempos de reconfigurações. In: Revista FAMECOS, Porto Alegre, nº 39, p. 50-56, 2009.

SOARES, T. A construção imagética dos videoclipes: canção, gêneros e performance na análise de audiovisuais da cultura midiática. Faculdade de Comunicação, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

SOARES, T. Videoclipe: o elogio da desarmonia. Recife: Livro Rápido, 2004.

SOULAGES, J. Instrumentos de análise do discurso nos estudos televisuais. In: LARA, G. M.P. et alli. Análises do Discurso Hoje, volume 1. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Lucerna, p. 254-277, 2008.

TORRES, A.; LAFRAIA, D. "Hips Don't Lie", sucesso de Shakira, completa 10 anos. Disponível em <https://www.vagalume.com.br/news/2016/02/28/hips-dont-lie-sucesso-de-shakira-completa-10-anos.html>. Acesso em 16 de julho de 2018.

Publicado
2020-12-30
Como Citar
Oliveira, D. C. de, Assumpção, D. J. F., Corradi, A., & Azevedo, L. E. C. (2020). Videoclipes e a experimentação de linguagens e construção de sentido. Passagens, 11(2), 27-45. Recuperado de http://periodicos.ufc.br/passagens/article/view/40161
Seção
Artigos