Educação permanente e suas interfaces com as condições sensíveis à atenção primária

Charlene Ester Machado Silva, Denise Barbosa de Castro Friedrich, Beatriz Francisco Farah, Kênia Lara Silva

Resumo


Objetivo: compreender o processo de educação permanente realizado pelos enfermeiros da atenção primária à saúde e suas interfaces com as condições sensíveis à atenção primária. Métodos: estudo qualitativo, realizado com 14 enfermeiros de unidades de saúde. Para captação dos dados, utilizou-se entrevista semiestruturada e análise por meio da hermenêutica dialética. Resultados: emergiram duas categorias: Assistência na atenção primária à saúde e internações hospitalares – apontou que a maior causa de internações está relacionada a doenças crônicas, e que grande parte delas poderia ser evitada; Educação: ferramenta para lidar com as condições sensíveis à atenção primária – a educação permanente é reconhecida como ferramenta para interferir na ocorrência dessas hospitalizações, porém as práticas realizadas aproximam-se mais da educação continuada. Conclusão: os enfermeiros desenvolvem processos educativos que se aproximam mais da educação continuada. A relação entre educação permanente e condições sensíveis a atenção primária ainda é incipiente.

Palavras-chave


Atenção Primária à Saúde; Educação Continuada; Educação em Enfermagem; Hospitalização.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15253/rev%20rene.v18i6.31094

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob Creative Commons – Licença CC BY  https://creativecommons.org/licenses/

 Marca ABEC Completa