Parcerias sexuais de pessoas vivendo com o Vírus da Imunodeficiência Humana

Layze Braz de Oliveira, Matheus Costa Brandão Matos, Giselle Juliana de Jesus, Renata Karina Reis, Elucir Gir, Telma Maria Evangelista de Araújo

Resumo


Objetivo: caracterizar as parcerias sexuais estabelecidas por pessoas vivendo com o Vírus da Imunodeficiência Humana. Métodos: estudo epidemiológico realizado com 173 participantes em um serviço de assistência médica especializada no tratamento de pessoas com o Vírus da Imunodeficiência Humana. Os dados foram coletados por meio de entrevista individual com questionário específico para o estudo. Para análise dos dados foram utilizados os testes Qui-quadrado de Pearson. Resultados: a maioria dos participantes era do sexo masculino, adultos-jovens (54/30,9%), solteiros (94/53,7%), com ensino médio completo (72/41,1%) e infectados por relação sexual (150/85,7%). As variáveis sexo (p<0,001), estado civil (p<0,001), morar com parceiro (p<0,001), forma de exposição (p=0,040) e sorologia do parceiro (p<0,001) mostraram diferença estatística. Conclusão: as pessoas vivendo com essa infecção estabelecem diferentes formas de parcerias sexuais, as quais foram influenciadas pelo sexo, estado civil, morar com o parceiro, forma de exposição e sorologia do parceiro.

Palavras-chave


HIV; Síndrome de Imunodeficiência Adquirida; Assistência ao Paciente; Comportamento Sexual.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15253/rev%20rene.v18i6.31102

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob Creative Commons – Licença CC BY  https://creativecommons.org/licenses/

 Marca ABEC Completa