Estresse ocupacional e qualidade do sono em docentes da área da saúde

Aline Rodrigues de Sousa, Rayane Bezerra Santos, Rodrigo Marques da Silva, Carla Chiste Tomazoli Santos, Victor Cauê Lopes, Fernanda Carneiro Mussi

Resumo


Objetivo: analisar a relação entre estresse ocupacional e qualidade do sono em docentes da área da saúde. Métodos: estudo transversal realizado por meio de um questionário sociodemográfico, ocupacional e da Escala de Estresse no Trabalho e Índice de Qualidade de Sono Pittsburg. Resultados: predominaram docentes homens (57,9%), casados (47,4%), com filhos (52,6%), que residem com a família (89,5%) e com 34,7 anos em média. Da amostra, 63,2% apresentaram baixo nível de estresse e 57,9%, baixa qualidade do sono, sendo essa mais afetada pela sonolência diurna, distúrbios do sono e duração do sono. Houve correlação significativa e positiva entre nível de estresse geral e uso de medicações para dormir. Conclusão: baixo nível de estresse e baixa qualidade do sono. Constata-se que, a sonolência diurna, os distúrbios do sono e a duração do sono os fatores que mais contribuem para a baixa qualidade do sono dos docentes da área de saúde.


Palavras-chave


Saúde do Trabalhador; Estresse Psicológico; Docentes.

Texto completo:

PDF (English) PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15253/2175-6783.20181933088

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob Creative Commons – Licença CC BY  https://creativecommons.org/licenses/

 Marca ABEC Completa