Por uma Mudança de Paradigma: antinegritude e antagonismo estrutural

  • João Costa Vargas Professor de Antropologia da Universidade do Texas.
Palavras-chave: Antinegritude, Diáspora Negra, Morte Social, Sobrevivência da Escravidão

Resumo

Ao propor a substituição da díade analítica canônica brancx-não brancx pela díade analítica negrx-não negro, esse artigo propõe que a gramática da antinegritude e seu campo assimétrico de posicionalidades são normativos, subliminares, ubíquos, transhistóricos, e assim efetivamente imunes à contestação. Esta gramática estabelece a ausência negra como auto-evidente. O fato de as pessoas negras compartilham e reproduzem esse universo simbólico antinegro demonstra exemplarmente a naturalização e onipresença desse universo. Isso mostra como que a negritude, mesmo para pessoas negras, é vista normativamente como a antítese da humanidade em um mundo antinegro. Consequentemente, uma consciência negra que não é dependente da gramática da antinegritude só é possível quando a antinegritude e o mundo cognitivo e social que ela alicerça são destruídos.

Referências

CHURCHILL, Ward. A Little Matter of Genocide: Holocaust

and Denial in the Americas, 1492 to the Present. San Francisco:

City of Lights, 1997.

FANON, Frantz. Black Skin, White Masks. Translated by

Charles Lam Markman. New York, NY: Grove Press, 1967.

FRENCH, Jan Hoffman. Legalizing Identities: Becoming Black

or Indian in Brazil's Northeast. Chapel Hill: University of North

Carolina Press, 2009.

GOFF, Phillip et al. "Not Yet Human: Implicit Knowledge,

Historical Dehumanization, and Contemporary Consequences."

Journal of Personality and Social Psychology 94, no. 7 (2008):

-306.

GORDON, Lewis R. Bad Faith and Antiblack Racism. Amherst,

NY: Humanity Books, 1999.

HARTMAN, Saidiya. Scenes of Subjection: Terror, Slavery, and

Self-Making in Nineteenth-Century America. New York, NY:

Oxford University Press, 1997.

JUNG, Moon-Kie. Beneath the Surface of White Supremacy:

Denaturalizing U.S. Racisms Past and Present. Stanford, CA:

Stanford University Press, 2015.

MASSEY, Douglas, and Denton, Nancy. American Apartheid:

Segregation and the Making of the Underclass. Cambridge, MA:

Harvard University Press, 1993.

MCKITTRICK, Katherine (ed.). Sylvia Wynter: On Being

Human as Praxis. Durham, NC: Duke University Press, 2015.

OMI, Michael, and Winant, Howard. Racial Formation in the

United States. Third Edition. New York, NY: Routledge, 2015.

PAIXÃO, Marcelo, Rossetto, Fabiana, Carvano, Luiz. Relatório

das Desigualdades Raciais no Brasilç 2009-2010. Rio de Janeiro,

RJ: Garamond Universitária, 2010.

WAISELFIZS, Julio J. Mapa da Violência 2012: A Cor dos

Homicídios no Brasil. CEBELA, FLACSO, Brasília: SEPPIR,

, 41.

WILDERSON, Frank B. Red, White, and Black: Cinema and the

Structure of U.S. Antagonism. Durham, NC: Duke University

Press, 2010.

Publicado
2017-06-29