Literatura e Memória: a Fortaleza de São José de Macapá no contexto da ditadura militar em Macapá (1964-1973)

  • Fernando Pimentel Canto Universidade Federal do Amapá (Unifap)
  • Isabelle Braz Peixoto da Silva UFC
Palavras-chave: Memória, Identidade, Literatura, Fortaleza de São José de Macapá, Ditadura militar brasileira

Resumo

O presente artigo visa abordar a literatura produzida durante o regime ditatorial militar que se instaurou em Macapá (1964), capital do então Território Federal do Amapá, até o ano da “Operação Engasga-Engasga” (1973), quando dezenas de pessoas foram presas nas masmorras da Fortaleza de São José de Macapá (FSJM), acusadas de subversão. Tais fatos surgem em textos de literatos amapaenses e em periódicos locais, com manifestações da ordem e da contraordem política sobre a FSJM, instigando a reflexão sobre a memória e as consequências sociais do período ditatorial. O artigo, foi produzido a partir de fatos narrados por jornalistas, poetas e romancistas e por depoimentos de pessoas que vivenciaram aqueles acontecimentos. Verificou-se que a FSJM foi palco de diversas ações políticas, reproduzidas na memória e na literatura local.

Referências

ARAÚJO, Hodias. 20 centavos de poesias. Macapá: Tarso Editora, 2006.

BOSI, Alfredo. Entre a Literatura e a História. São Paulo: Cultrix, 2013.

______. Dialética da Colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

CANDAU, Jöel. Memória e Identidade. São Paulo: Contexto, 2014.

CÂNDIDO, Antonio. Literatura e Sociedade. São Paulo: Ouro Sobre Azul, 2000.

CAPIBERIBE, João Alberto. Clarões da alma in Trapiche: ancoradouro de sonhos. CORREA, Márcia (Org). Macapá: s.ed., 1998

CHALHUB, Samira. A Meta-Linguagem. São Paulo: Ática, 1986.

CUNHA, Ray. A Casa Amarela. Belém: Cejup, 2004.

______. Operação “Engasga”. Tortura em Macapá: uma época de obscurantismo. Jornal Resistência. Belém: 1980.

FERREIRA, Luiz Jorge. Tempos do meu tempo. Macapá: GTFA/DIO, 1982.

GOMES, Carlos Cordeiro. Poemas de amar mar. Macapá: Imprensa Oficial,1981.

______. Cão vadio. Imprensa Oficial. Macapá: 1986.

HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2006.

JORNAL FOLHA DO POVO, de 28 de maio de 1959

JORNAL MARCO ZERO. Caderno 2, especial. Fortaleza de Macapá 200 anos. Macapá, de 19 a 26 de março de 1982.

LÁZARO, João. Blog Porta-retrato. Macapá de outrora. Disponível em: < http://porta-retrato-ap.blogspot.com.br/ >. Acesso em: 10 mai. 2015.

NACARATO, Adair Mendes et al. Pelos fios e tramas da memória: Entretecendo narrativas de si, do outro, de todos nós, in Memórias, histórias de vida e formação de professores. Revista Educação e Contemporaneidade. Salvador: FAEEBA/UNEB, vol. 17, 2008.

NORA, Pierre. Entre memória e história: a problemática dos lugares. In: Projeto História. São Paulo, nº 10, p. 7-28, dez. 1993.

PENAFORT, Hélio. Micro Reportagem. Macapá: Imprensa Oficial, 1985.

______. Na falta dos autênticos, qualquer um servia pra comunista. Jornal do Dia, 16 de novembro de 1997. Página A4, Macapá: 1997.

REVISTA LATITUDE ZERO. Ano I. Jul/Ago. Macapá: 1969.

______. Ano 2. Nº 8. Setembro de 1972. Macapá: 1972.

SOUZA, Armindo Oliveira. Retratos, Macapá: S.ed., 1979

Publicado
2018-07-01
Seção
Especial: O Amapá como desafio sociológico