A DIALÉTICA DO "FIM" DO TRABALHO

  • Aécio Alves de Oliveira Universidade Federal do Ceará (UFC)

Resumo

O objetivo da teoria crítica radical é empreender uma incursão pelo campo do trabalho abstrato para analisar o sentido de sua condição enquanto determinante e constituinte das demais relações sociais da modernidade. Tal crítica permite retomar uma discussão política importante, quanto ao caráter do trabalho considerado por muitos como princípio educativo e emancipatório. O argumento desenvolvido neste artigo conduz a uma posição oposta. A dialética imanente ao trabalho que produz o capital, sugere a possibilidade objetiva e subjetiva de uma forma superior de "fazer" relações sociais, não mais heteronomicamente determinada. No lugar da razão abstrata, inerente ao valor, a razão sensível, para que seja possível organizar um debate e fundamentado em experiências práticas, a fim de vislumbrar quão destrutivo é o movimento tautológico do dinheiro. A razão sensível requer um movimento de ruptura que se ponha numa metaperspectiva ao capital e que contribua para reagregar todas as lutas defensivistas imanentes ao sistema, até então desencadeadas pelos movimentos sociais. A "destruição" do valor é o real objetivo da crítica radical para que seja possível pensar a emancipação do trabalho nesta sociedade.

Biografia do Autor

Aécio Alves de Oliveira, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Professor do Departamento de Teoria Econômica-UFC e Doutorando do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceará. Membro do Núcleo Interdepartamental de Estudos, Pesquisa e Extensão na Área do Trabalho-UNITRABALHO/UFC

Referências

BOURDIEU, Pierre. (1997), Razões práticas - Sobre a teoria da ação. São Paulo: Papirus Editora.

CHESNAIS, François. (1999), "Mundialização financeira e vulnerabilidade sistêmica", in F. Chesnais, A mundialização financeira: gênese, custos e riscos, São Paulo: Xamã Editora.

DIETERICH, Heinz. (1998), "Teoria e Práxis do ovo Projeto Histórico" in Fim do Capitalismo Global - o novo projeto histórico. Tradução de E. A. Wolff. São Paulo: Xamã Editora.

GRUPO KRISIS. (1999), Manifesto contra o trabalho. Tradução de Heinz Dieter Heidemann com a colaboração de Cláudio Duarte. São Paulo, Cadernos do LABUR n. 2, Departamento de Geografia/FFLCH/USP.

JAPPE, Anselm. (2003), Les Aventures de la marchandise - Pour une nouvelle critique de la valeur. Paris: Éditions Denoël.

KURZ, Robert. (1999), O colapso da modernização - Da derrocada do socialismo de caserna à crise da economia mundial. Tradução de Karen Elsabe Barbosa. 5ª edição revista, São Paulo: Paz e Terra.

___ (2000), "Dominação sem sujeito: sobre a superação de uma crítica social redutora", in J. Paiva (org.), Teoria Crítica Radical, a Superação do Capitalismo e a Emancipação Humana, Fortaleza-CE: Instituto Filosofia da Práxis.

MARX, KarI. (1978), EI capital, Libro primero. 7ª edición, México: Siglo Veintiuno Editores, SA.

___ (1980), Teorias da Mais-Valia (Livro 4 de O Capital, vol. I). Tradução de R. Sant'anna. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

___¬ (1985a), Elementos Fundamentales para la Crítica de la Economía Política (Grundrisse) - 1857-1858, Vol. 1. 10ª edición, México: Siglo Veintiuno Editores, SA.

___ (1985b), Elementos Fundamentales para la Crítica de la Economía Política (Grundrisse) - 1857-1858, Vol. 2. 10ª edición, México: Siglo Veintiuno Editores, SA.

___ (1989), A origem do capital (A acumulação primitiva). Tradução de W. S. Maia. 6ª edição, São Paulo: Global Editora e Distribuidora Ltda.

MÉSZÁROS, István. (1981), MARX:A Teoria da Alienação. Tradução de W. Dutra e supervisão de L. Konder. Rio de Janeiro: ZAHAR EDITORES.

___ (1995), BEYOND CAPITAL- Towards a theory of transitions. London: Merlin Press.

OLIVEIRA, Aécio. (2000), "Mudanças tecnológicas e organizacionais e o processo de qualificação-desqualificante da força-de-trabalho (Mais-valia, produtividade e desenvolvimento do Capital)". Digitado, Fortaleza-CE, aecioeco@ufc.br.

POSTONE, Moishe. (1996), Time, labour; and social domination - A reinterpretation of Marx's critical theory. New York: CambricIge University Press.

ROSDOLSKY,Roman. (1979), Génesis y estructura de EI capital de Marx (estudios sobre los Grundrisse). 2ª edición, México: Siglo Veintiuno Editores, SA.

Publicado
2018-10-29