As Interferências Urbanas na Cidade de Natal: um ensaio sobre linhas, cores e atitudes

  • Lisabete Coradini
Palavras-chave: Grafite, Graffiti, Espaço Urbano, Natal

Resumo

Este artigo aborda a produção social do espaço urbano na cidade a partir da leitura das interferências urbanas, principalmente do grafite na cidade de Natal, Rio Grande do Norte. Os procedimentos metodológicos que orientaram a pesquisa foram: a observação participante, a entrevista e o registro fotográfico e audiovisual, bem como uma ampla revisão bibliográfica sobre o tema. São mostrados aqui o surgimento da cena do grafite na cidade de Natal, seus
principais protagonistas e itinerários percorridos. A partir de uma abordagem antropológica, urbana e audiovisual, serão apresentadas imagens, que suplementam a argumentação presente no texto, sendo todas de autoria própria e
pertencentes à coleção pessoal da autora.

Biografia do Autor

Lisabete Coradini

Doutora em Antropologia pela Universidad Nacional Autónoma do México (UNAM) 2000. Professora Associada do Departamento de Antropologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Coordenadora do NAVIS – Núcleo de Antropologia Visual, Diretório de Pesquisa/CNPq-UFRN. Realizou os seguintes filmes: No mato das mangabeiras, Seu Pernambuco, Cinema moçambicano em movimento, Sila a Mulher Cangaceira. Publicou: Praça XV, espaço e sociabilidade; Antropologia e imagem; As cidades e suas imagens. Organizou Dossiê sobre Cinema (Revista BAGOAS). Atualmente é editora da Vivência, revista de Antropologia (DAN/PPGAS). Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana e Audiovisual.

Referências

ANTONACCI, Célia Maria. Grafi te, pichação & cia. São Paulo: Annablume,

BENJAMIN, W. A obra de arte na era de sua reprodutibilidade técnica.

In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da

cultura. Trad. Sérgio Paulo Rouanet. 7ª edição. São Paulo: Brasiliense,

, p. 165-196.

BENJAMIN, W. Sobre o conceito da História. In: Magia e técnica, arte

e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. 7ª edição. Trad.

Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Brasiliense, 1994.

CAMPOS, Ricardo. Por que pintamos a cidade? Uma abordagem etnográfi

ca do graffi ti urbano. Portugal: Edições, Sociedade Unipessoal,

LDA. 2010.

CAMPOS, Ricardo. A pixelização dos muros: graffi ti urbano, tecnologias,

digitais e cultura visual contemporânea. Revista Famecos, Porto Alegre,

v. 19, nº 2, p. 543-566, maio/ago. 2012.

CANEVACCI, M. Metrópoles comunicacionais. Revista USP, São

Paulo, nº 63. 2004.

CANEVACCI, M. Culturas eXtremas: mutações juvenis nos corpos das

metrópoles. Rio de Janeiro: DP&A Editora. 2005.

CANEVACCI, M. Comunicação entre corpos e metrópoles. São Paulo,

revista Signos do consumo, 2009.

CANEVACCI, M. A cidade polifônica: ensaio sobre antropologia da

comunicação urbana. São Paulo: Studio Nobel, 1993.

CARCARÁ, Miguel. Revolução nos muros. Revista Basculho. Ano 1,

nº 1, 2013.

CATALÀ, Jose Maria. Introdução. In: Puig Torres, Rosa, Barcelona 1000

graffi tis. Barcelona: Gustavo Gili, 2005.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Petró-

polis-RJ: Vozes, 1994.

COSTA, Roaleno. Graffi ti no contexto histórico-social com obra aberta

e uma manifestação de comunicação urbana. Dissertação de mestrado,

Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/

USP), 1994.

DIÓGENES, Glória. Itinerários de corpos juvenis: a festa, o jogo e o

tatame. São Paulo: Annablume, 2003.

DIÓGENES, Glória. Cartografi as da cultura e da violência: gangues,

galeras e o movimento hip hop. São Paulo: Annablume, 1998.

DOZENA, A. e COSTA, Pablo Raniere Medeiros. Paredes que falam:

simbolismo e transgressão espacial na cidade de Natal-RN. Geografi cidade,

v. 4, nº 1, Verão 2014.

FREITAS, Rafael Acácio de. Intervenções gráfi cas no espaço público

urbano: uma abordagem antropológica da cidade de São Paulo. Dissertação

de mestrado, Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais,

Universidade Federal de São Paulo (PPCS, UNIFESP), São Paulo, 2014.

GITAHY, C. O que é graffi ti? São Paulo: Brasiliense, 1999.

LASSALA, Gustavo. Pichação não é pixação: uma introdução à análise

de expressões gráfi cas urbanas. São Paulo: Altamira Editorial, 2010.

PEREIRA, Alexandre. De rolê pelas cidades: os pixadores em São Paulo.

Dissertação de mestrado, Antropologia, USP, 2005.

PEREIRA, Alexandre. As marcas da cidade: a dinâmica da pichação em

São Paulo. São Paulo: Lua Nova, 2010.

PIAULT, Marc-Henri. A antropologia e a sua passagem à imagem. Cadernos

de Antropologia e imagem, nº 1, p. 23-29, 1995.

SILVEIRA, Nelson Eugenio. Superfícies alteradas: uma cartografi a dos

grafi tes na cidade de São Paulo. Dissertação de mestrado, Antropologia,

UNICAMP, 1991.

Jão & Lua. Direção: Lisabete Coradini e Beatriz Tanabe, 10 min., NAVIS,

Programa de Extensão Universitária, Ministério da Educação (PROEXT/

MEC), UFRN, 2015.

Publicado
2016-10-27