Implementação das boas práticas na atenção ao parto em maternidade de referência

Bruna Marques de Melo, Linicarla Fabiole de Souza Gomes, Ana Ciléia Pinto Teixeira Henriques, Sâmua Kelen Mendes de Lima, Ana Kelve de Castro Damasceno

Resumo


Objetivo: descrever a implementação das boas práticas de atenção ao parto em uma maternidade de referência. Métodos: estudo documental, descritivo, com 300 Fichas de Monitoramento da Atenção ao Parto e Nascimento. Os dados foram reunidos em tabelas e submetidos à análise descritiva e numérica inferencial. Resultados: na categoria A observou-se que, 48,3% dos partos tiveram o preenchimento do partograma; 84,0% das parturientes não utilizou métodos não farmacológicos para alívio da dor; 67,0% permaneceu em dieta zero durante o trabalho de parto; 84,7% não teve acompanhante no pré-parto, parto e pós parto; 57,0% realizou contato pele a pele; e 65,3% amamentou em sala de parto. Na categoria B encontrou-se que 54,0% das parturientes permaneceu em venóclise; 60,7% permaneceu na posição semi-sentada no período expulsivo; e foi realizada tricotomia em 14,7% das mulheres. Conclusão: algumas práticas demonstradamente úteis no parto ainda são pouco implementadas, enquanto outras prejudiciais ou ineficazes continuam sendo executadas.

Palavras-chave


Enfermagem Obstétrica; Parto Normal; Humanização da Assistência.

Texto completo:

PDF (English)


DOI: http://dx.doi.org/10.15253/rev%20rene.v18i3.20065

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

 Marca ABEC CompletaResultado de imagem para Rede Iberoamericana de Editoração Científica em Enfermagem