Prazer e sofrimento de docentes na Pós-Graduação stricto sensu em enfermagem

Danielle de Araújo Moreira, Hanna Beatriz Bacelar Tibães, Maria José Menezes Brito

Resumo


Objetivo: compreender a relação prazer-sofrimento no trabalho de docentes, na Pós-Graduação stricto sensu em enfermagem. Métodos: pesquisa qualitativa, realizada em dois programas de Pós-Graduação stricto sensu em enfermagem. Os dados foram coletados por meio de entrevistas, guiadas por roteiro semiestruturado e análise documental. Participaram do estudo 21 docentes. Os dados foram analisados por meio de Análise de Conteúdo Temática. Resultados: a análise revelou a interface da organização do trabalho e das relações interpessoais nas vivências de prazer-sofrimento docente. Emergiram duas categorias: Sofrimento docente na Pós-Graduação: a realidade não é tudo aquilo com que a gente sonha e Vivências de prazer no trabalho docente: eu quero morrer fazendo isso. Conclusão: a relação prazer-sofrimento de docentes é influenciada por condições externas e internas aos programas. Ademais, as vivências de prazer e sofrimento derivam de experiências interdependentes e coexistem no trabalho docente. 


Palavras-chave


Enfermagem; Docentes; Trabalho; Educação de Pós-Graduação em Enfermagem; Prazer.

Texto completo:

PDF (English) PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.15253/2175-6783.20181933328

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Este trabalho está licenciado sob Creative Commons – Licença CC BY  https://creativecommons.org/licenses/

 Marca ABEC Completa