PPP da Escola Estadual Indígena Kijêtxawê Zabelê

a narrativa de um sonho

  • Vera Lúcia da Silva Universidade Federal do Sul da Bahia - UFSB

Resumo

O artigo pretende realizar uma leitura respeitosa e contextualizada do projeto político pedagógico da Escola Estadual Indígena Kijêtxawê Zabelê, situada em Cumuruxatiba no município de Prado na Bahia, criada por inciativa e luta do povo Pataxó. Tal leitura pretende cotejar qual é a experiência intercultural pensada e vivida por eles no cotidiano de suas práticas escolares. Para tanto, autores indígenas e não indígenas serão postos em diálogo, a saber: Daniel Munduruku (2012a; 2013b), Nestor Canclini (1983), Vera Candau (2008) e Stuart Hall (2003). Todas essas leituras apontam para a educação intercultural como meio para garantir que a diferença será reconhecida, na mesma medida em que as desigualdades que remontam há séculos serão problematizadas e solucionadas, no campo das disputas por reconhecimento e direitos.

Palavras-chave: Educação; PPP; Interculturalidade; Indí-
gena; Pataxó.

Biografia do Autor

Vera Lúcia da Silva, Universidade Federal do Sul da Bahia - UFSB

Professora de Língua Portuguesa da educação básica na rede pública estadual da Bahia, mestra em Literatura. Cultura e Contemporaneidade na PUC Rio, doutoranda do programa de pós-graduação em Estado e Sociedade da Unifersidade Federal do Sul da Bahia (UFSB). Tem como principal publicação o artigo "Os Pataxó do Prado -BA: uma leitura em vozes diversas, disponível em http://www.revistas2.uepg.br/index.php/muitasvozes/article/view/7259, bem como em versão impressa da revista.

Referências

BARTHES, Roland. Aula. Tradução Leyla Perrone-Moisés. 6º Ed. São Paulo: Cultrix, 1994.

BRAZ, Salvino dos Santos. Txopai e Itôhã. Belo Horizonte: SSE/MG, 1997. Disponível em http://www.livrogratis.com.br/arquivos_livros/me001782.pdf. Acesso em 15 de fevereiro de 2013.

BRITO, Edson Machado. Entrevista concedida a pesquisadora. Porto Seguro: 11 de abril de 2013.

BRITO, Edson Machado. Licenciatura intercultural indígena do IFBA: transformando a opressão em demanda. Formação de professores: política, saberes e práticas. Feira de Santana: Shekinah, 2013 b. P.57-78.

CAMINHA, P. V. de. Carta de Achamento do Brasil. Disponível em: . Acesso em: 23 de maio de 2013.

CANCLINI, Nestor Garcia. As culturas populares no capitalismo. São Paulo: Brasiliense, 1983 .

CANDAU, Vera Maria. Direitos humanos, educação e interculturalidade: as tensões entre igualdade e diferença. Revista Brasileira de Educação. V.13, nº 37, jan/abril 2008. p.p 45-185.

ESCOLA ESTADUAL INDÍGENA KIJÊTXAWÊ ZABELÊ. Projeto Político-Pedagógico. Prado: 2010.

GRAÚNA, Graça. Contrapontos da literatura indígena contemporânea no Brasil. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2013.

GRUPIONI, Luís Donisete Benzi (Org.). Índios no Brasil. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto, 1994.

GRÜNEWALD, Rodrigo de Azeredo. Os ‘índios do descobrimento’: tradição e turismo (tese). Rio de Janeiro: UFRJ/MN/PPGAS, 1999. Disponível em: http://indiosnonordeste.com.br/wp-content/uploads/2012/08/TESE-SOBRE-OS-PATAX%C3%93-BAHIA.pdf. Acesso em 30 de abril de 2013.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução de Adelaine La Guardia Resende. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

MONTEIRO, Jonh. O escravo índio: esse desconhecido. GRUPIONI, L. D. B. (org.). Índios no Brasil. Brasília: Ministério da Educação e do Desporto, 1994.p.p. 105-120.

MUNDURUKU, Daniel. O caráter educativo do movimento indígena brasileiro (1970-1990). São Paulo: Paulinas, 2012.

___________________. Equívocos nossos de cada dia. Disponível em: hhttp://danielmunduruku.blogspot.com.br/p/crônicas-e-opinioes.html. Acesso em 30 de abril de 2013.

NUNES, João Arriscado; SANTOS, Boaventura de Sousa. Para ampliar o cânone da diferença e da igualdade. In: Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo cultural. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2003. p.p. 25-68.

POVO PATAXÓ DO PRADO. Índios na visão dos índios: Pataxó do Prado. Salvador: Secretaria de Educação da Bahia, 2007.

RIBEIRO, Darcy. Os índios e a civilização: a integração das populações indígenas no Brasil Moderno. São Paulo: Companhia das letras, 2004.

RODRIGUES et al. Esperança Luminosa – histórias, contos e cantos Pataxó. Brasília: Cimi, 2005.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Para uma concepção multicultural dos direitos humanos. In: Contexto internacional. Rio de Janeiro, vol.23, nº 1, janeiro/junho 2001, pp.7-34.

____________. (Org.). Reconhecer para libertar: os caminhos do cosmopolitismo multicultural. Rio de Janeiro: Civilização brasileira, 2003.

Publicado
2019-09-10
Seção
Dossiê: Novos sujeitos, novos direitos e cidadania: pluralismos e perspectivas do Sul