O Ensino Secundário em Minas Gerais no Período Republicano:

promessas de igualdade, heranças de exclusão

  • Caio Corrêa Derossi Universidade Federal de Viçosa (UFV)
  • Joana DArc Germano Hollerbach Universidade Federal de Viçosa
  • Thaís Carneiro Carvalho Universidade Federal de Viçosa (UFV)
Palavras-chave: Ensino secundário, Organização do ensino, Período republicano, Minas Gerais

Resumo

O presente trabalho propõe uma análise acerca da organização do ensino secundário, durante o período republicano, em um recorte temporal localizado no século XX, especificamente no estado de Minas Gerais. A metodologia utilizada baseou-se no instrumental da Nova História Política e da pesquisa documental. Para tanto, as fontes elencadas foram os textos legais coevos ao período estudado, principalmente Leis, Relatórios e Discursos dos governadores ao Poder Legislativo. Ademais, compuseram o corpus analítico da pesquisa, estatísticas e recenseamentos oficiais acerca dos estabelecimentos escolares e matrículas. O texto discute o ensino secundário através da sua expansão e dos seus investimentos público e privado, observando que, para este segmento, foi destacado numericamente as instituições privadas e o quantitativo de alunos atendidos. À guisa das considerações finais, verificou-se que os investimentos públicos foram aquém da demanda, o que possibilitou grande expansão do setor privado e que, data das décadas finais do século XX, ocorreu um investimento público sistemático neste segmento de ensino.

Biografia do Autor

Caio Corrêa Derossi, Universidade Federal de Viçosa (UFV)

Mestrando (2019) pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Viçosa (UFV), na Linha de pesquisa 1: Educação Pública: Sujeitos e Práticas. Graduado (2018) em Licenciatura em História pela Universidade Federal de Viçosa. Aluno-pesquisador e bolsista de pré-iniciação científica pelo projeto Jovens Talentos para a Ciência da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ), no Centro de Vocação Tecnológica (CVT), da Fundação de Apoio à Escola Técnica do Estado do Rio de Janeiro (FAETEC), entre os anos de 2013-2014. É aluno-integrante, desde 2016, do grupo de pesquisa Formação do Educador e Práticas Educativas (FORMEPE), registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa CNPq, do Departamento de Educação da UFV. Entre fevereiro\2017 e fevereiro/2018 foi bolsista Capes\CNPq, do Projeto Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID). No ano de 2017 integrou o Grupo de Estudo "Ética na Educação", filiado ao Grupo de Pesquisa em Educação, Conhecimento e Processos Educativos e ao Grupo de Estudo dos Clássicos Contemporâneos em Educação (GECCE). É membro fundador e foi Diretor de Gestão de Pessoas da ConHis (Consultoria em História), Empresa Júnior de História da Universidade Federal de Viçosa, no período de 2017\2018. Representante Discente (2017-2018) da Comissão Coordenadora do Curso de História da UFV. Foi Monitor Bolsista Nível I (2018) da disciplina Psicologia e Desenvolvimento da Aprendizagem (EDU 117), na Universidade Federal de Viçosa. Têm interesse na áreas: Formação de Professores, Formação Continuada, Desenvolvimento Profissional da Docência, Aprendizagem Docente, Socialização Profissional da Docência, Narrativas e História da Educação. Aprovado em 1º lugar no edital 3/2019 para Monitor Bolsista Nível II de Psicologia, atuando em disciplinas da licenciatura e do bacharelado. Aprovado em 2º lugar no Edital nº 02/2020 para Monitor Bolsista Nível II para atuar nas disciplinas da licenciatura em Pedagogia: Ensino de História, Ensino de Geografia, Filosofia da Educação I e Sociologia da Educação I. Cursou disciplina isolada no segundo semestre de 2020 no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal de Ouro Preto (PPGE/UFOP). Atua como parecerista de artigos das seguintes revistas: IFES Ciência (IF-ES), Revista Pró-Discente (PPGE-UFES), Revista @rquivo Brasileiro de Educação (PPGE-PUC/MG), Interfaces da Educação (UEMS), Margens Interdisciplinar (UFPA), Revista do Instituto de Ciências Humanas (PUCMG) e Revista de Ciências Humanas (CCH/UFV). 

Joana DArc Germano Hollerbach, Universidade Federal de Viçosa

Possui graduação em Administração pela Faculdade de Administração de Governador Valadares (1986), Licenciatura em História pela Universidade Vale do Rio Doce (2003), Mestrado em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais (2007) e Doutorado em Educação pela Universidade Federal de São Carlos (2016). Atualmente é professora do magistério superior, Adjunto III, da Universidade Federal de Viçosa. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: história da educação, ensino de história, políticas públicas para a educação básica, trabalho e educação.

Thaís Carneiro Carvalho, Universidade Federal de Viçosa (UFV)

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Educação na Universidade Federal de Viçosa (UFV), na Linha de Pesquisa 3: Formação Humana, Políticas e Práxis Sociais. Graduada em Pedagogia pela UFV. Foi bolsista do Programa de Iniciação a Docência PIBID/ Pedagogia. Foi voluntária no Programa de Iniciação Científica, onde desenvolveu pesquisas na área da Educação com ênfase em História da Educação Brasileira, Movimento Estudantil e Ditadura Civil- Militar. Integrante do GECCE - Grupo de Estudos dos Clássicos Contemporâneos em Educação e do Grupo de Pesquisa Educação, Conhecimento e Processos Educativos, registrado no Diretório de Grupos de Pesquisa CNPq, do Departamento de Educação da UFV.

Referências

ABREU, J. A educação secundária no Brasil: ensaios de identificação de suas características principais. Rio de Janeiro: MEC; Cileme, 1955.

AMADO, Gildásio. Educação média e fundamental. Rio de Janeiro; Brasília: Ed. José Olympio; MEC, 1973.

AZANHA, José Mário Pires. Educação: temas polêmicos. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Sinopse estatística da educação básica. Rio de Janeiro: Serviço de Estatística da Educação e Cultura, 1984.

BRASIL. Lei nº 5.692/71 de 11 de agosto de 1971. Fixa Diretrizes e Bases para o ensino de 1º e 2º graus, e dá outras providências. Disponível em: http://www2.camara.gov.br/legislacao/publicacoes/republica. Acesso em: 20 ago. 2010.

CARVALHO, Marta Maria Chagas. Reformas da instrução pública. In: 500 anos de educação no Brasil. 3. Ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2003. p.225-251.

CHAVES JUNIOR, Ilton de Oliveira. Provocar, auxiliar e fiscalizar. O lugar do Estado na produção do ensino secundário em Belo Horizonte (1898-1931). 2010. 194f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2010.

DALLABRIDA, Norberto; SOUZA, Rosa Fátima (Orgs.). Entre o ginásio de elite e o colégio popular: estudos sobre o ensino secundário no Brasil (1931-1961). Uberlândia: Edufu, 2014.

DINIZ, Clélio Campolino. Estado e capital estrangeiro na industrialização mineira. Belo Horizonte: Imprensa da UFMG, 1981.

DUARTE FILHO, Francisco Carvalho. Desempenho e fontes de crescimento da indústria mineira no período pós-75. Análise & Conjuntura, Belo Horizonte, v.1, n.2, p.31-52, mai/ago. 1986.

FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucília de Almeida N. (Orgs.). O Brasil Republicano: o tempo da experiência democrática. 5. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013.

GATTI, Gisele Cristina do Vale. A escola e a vida na cidade: o Gymnasio Mineiro de Uberlândia (1929-1950). Uberlândia: Edufu, 2013.

GENTILINI, João Augusto. Modernização do Estado e racionalização administrativa do sistema estadual de ensino de Minas Gerais (1987-1989). 1993. 305f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1993.

HOBSBAWN, Eric. Era dos extremos: o breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

MAGALHÃES, Otavio Luciano C. Sales. O papel da educação e do Lyceu dirigido pelo Prof. Salathiel de Almeida na configuração do contexto geopolítico, social e econômico de Muzambinho (MG). 2008. 553f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2008.

MINAS GERAIS (Estado). Mensagem apresentada por Juscelino Kubitschek de Oliveira, governador do Estado de Minas Gerais à Assembleia Legislativa Mineira, por ocasião da abertura da sessão ordinária de 1953. Belo Horizonte: Imprensa Oficial de Minas Gerais, 1953.

MINAS GERAIS (Estado). Mensagem apresentada por Milton Soares Campos, governador do Estado de Minas Gerais à Assembleia Legislativa Mineira, em sua sessão ordinária de 1950. Belo Horizonte: Imprensa Oficial de Minas Gerais, 1950.

MINAS GERAIS. Mensagem dirigida pelo governador do Estado Antônio Aureliano Chaves de Mendonça ao Congresso Mineiro em sua 4ª sessão ordinária da 8ª legislatura no ano de 1978. Belo Horizonte: Imprensa Oficial do Estado de Minas, 1978.

MINAS GERAIS. Mensagem dirigida pelo governador do Estado José de Magalhães Pinto ao Congresso Mineiro em sua 1ª sessão ordinária da 7ª legislatura no ano de 1967. Belo Horizonte: Imprensa Oficial do Estado de Minas, 1967.

MINAS GERAIS. Mensagem dirigida pelo presidente do Estado Dr. Arthur da Silva Bernardes ao Congresso Mineiro em sua 1ª sessão ordinária da 8ª legislatura no anno de 1919. Belo Horizonte: Imprensa Oficial do Estado de Minas, 1906. Disponível em: brazil.crl.edu. Acessado em 12 de agosto de 2019.

MINAS GERAIS. Mensagem dirigida pelo presidente do Estado Dr. Francisco Antonio de Salles ao Congresso Mineiro em sua 4ª sessão ordinária da 4ª legislatura no anno de 1906. Belo Horizonte: Imprensa Oficial do Estado de Minas, 1906. Disponível em: brazil.crl.edu. Acessado em 10 de agosto de 2019.

NEVES, Leonardo dos Santos. Organização do ensino secundário em Minas Gerais no século XIX. 2006. 169f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerias, Belo Horizonte, 2006.

NOGUEIRA, Vera Lúcia. A escola primária noturna em Minas Gerais (1891-1924). Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012.

PEIXOTO, Ana Maria Casassanta. Educação no Brasil dos anos vinte. São Paulo: Loyola, 1983.

PESSANHA, Eurize Caldas; GATTI JUNIOR, Décio (Orgs.). Tempo de cidade, lugar de escola: história, ensino e cultura escolar em “escolas exemplares”. Uberlândia: Edufu, 2012.

RÉMOND, René (Org.). Por uma história política. 2. ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2003.

ROCHA, Marlos Bessa Mendes. Educação conformada: a política de educação no Brasil (1930-1945). Juiz de Fora: Ed. UFJF, 2000.

ROMANELLI, O. O. História da educação no Brasil: 1930-1973. Petrópolis: Vozes, 1987.
SILVA, Geraldo Bastos. A educação secundária (perspectiva histórica e teoria). São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1969.

SILVA, Geraldo Bastos. Introdução crítica do ensino secundário. Rio de Janeiro: MEC; CADES, 1959.

SOUZA, Rosa de Fátima. O ensino secundário em Minas Gerais no período Republicano: o secular desafio da democratização. In: NETO, Wenceslau Gonçalves; CARVALHO, Carlos Henrique. História da educação em Minas Gerais: República. Uberlândia: Edufu, 2019.

SOUZA, Rosa Fátima. História da organização do trabalho escolar e do currículo no século XX. São Paulo: Cortez, 2008.

TEIXEIRA, Aleluia Heringer Lisboa. Uma escola sem muros: Colégio Estadual de Minas Gerais (1956-1964). 2011. 224f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

VIÑAO, Antonio. Escuelas para todos: educación y modernidade em la España del siglo XX. Madrid: Marcial Pons Historia, 2004.
Publicado
2020-12-28
Como Citar
DEROSSI, C. C.; HOLLERBACH, J. D. G.; CARVALHO, T. C. O Ensino Secundário em Minas Gerais no Período Republicano:. Revista Labor, v. 2, n. 24, p. 552-569, 28 dez. 2020.
Seção
Artigos