Educação e Pensamento Social brasileiro: alguns apontamentos a partir de Florestan Fernandes e Gilberto Freyre

  • Amurabi Oliveira Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Palavras-chave: Pensamento Social Brasileiro, Sociologia da Educação, Florestan Fernandes, Gilberto Freyre

Resumo

A educação não tem sido um objeto de investigação privilegiado na pesquisa sociológica brasileira, ainda que tenha havido nas últimas décadas um crescimento no interesse
dos sociólogos pela temática; todavia, a gênese da Sociologia brasileira encontra-se visceralmente ligada à questão educacional. Neste trabalho apresento brevemente essa origem nal da Sociologia brasileira, e busco apreender como a questão da Educação se apresenta na obra de dois clássicos do pensamento social brasileiro: Florestan Fernandes e Gilberto Freyre, e, apesar das diferenças substantivas entre estes autores, indico, nas considerações finais desse artigo, alguns pontos de aproximação na perspectiva de ambos acerca desse objeto de investigação.

Biografia do Autor

Amurabi Oliveira, Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)
Doutor em sociologia (UFPE). Professor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), atuante em seu Programa de Pós Graduação em Sociologia Política.

Referências

AZEVEDO, Fernando. Sociologia educacional. São Paulo: Melhoramentos, 1954.

BASTOS, Elide Rugai. Pensamento social da escola sociológica paulista. In: MICELI, Sergio (org.). O que ler na ciência social brasileira: 1970-2002 (Sociologia). São Paulo: Sumaré/ANPOCS, 2002, p. 183-230.

BASTOS, Elide Rugai; BOTELHO, André. Horizontes das ciências sociais: pensamento social brasileiro. In: MARTINS, Carlos Benedito; MARTINS, Heloísa Helena T. de Souza. (orgs.). Horizontes das ciências sociais no Brasil: sociologia. São Paulo: ANPOCS, 2010, p. 475-496.

BOMENY, Helena. Os intelectuais da educação. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

BUFFA, Esther. Ideologias em conflito: escola pública e escola privada. São Paulo: Cortez/Autores Associados, 1979.

CANDIDO, Antonio. Tendências no Desenvolvimento da Sociologia da Educação. In: PEREIRA, Luiz; FORACCHI, Marialice M (org.). Educação e Sociedade. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1971, p. 7-18.

CARDOSO, Fernando Henrique. Pensadores que inventaram o Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2013.

CIGALES, Marcelo Pinheiro. A sociologia educacional na Escola Normal do Colégio São José de Pelotas: 1946-1971. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Pelotas. Pelotas-RS, 2014.

COHN, Gabriel. A integração do negro na sociedade de classes. In: MOTA, Lourenço Dantas (org.). Introdução ao Brasil: um banquete nos trópicos. São Paulo: Editora Senac, 2001.

COSTA, Sergio. Teoria como adição. In: Martins, Heloísa S. (org.). Horizontes das ciências sociais no Brasil: sociologia. São Paulo: ANPOCS, 2010, p. 20-36.

DURKHEIM, Émile. Educação e sociologia. Petrópolis-RJ: Vozes, 2011.

FERNANDES, Florestan. A ciência aplicada e a educação como fatores de mudança cultural provocada. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 86, n. 212, p.125-161, 2005.

FERNANDES, Florestan. A Sociologia no Brasil. Petrópolis-RJ: Vozes, 1980.

FERNANDES, Florestan. Educação e Sociedade no Brasil. São Paulo: EDUSP, 1966.

FERNANDES, Florestan. Elementos de Sociologia Teórica. São Paulo: Editora Nacional, 1974.

FERNANDES, Florestan. Ensaios de Sociologia Geral e Aplicada. São Paulo: Livraria Pioneira Editora, 1971.

FERNANDES, Florestan. Folclore e mudança social na cidade de São Paulo. Petrópolis-RJ: Vozes, 1961.

FERNANDES, Florestan. O Desafio Educacional. São Paulo: Editora Cortez, 1989.

FREITAG, Barbara. Escola, Estado e Sociedade. São Paulo: Brasiliense, 1980.

FREITAG, Barbara. Florestan Fernandes revisitado. Estudos Avançados, v. 19, n. 55, p. 231-244, 2005.

FREYRE, Gilberto. A propósito de frades: sugestões em torno da influência de religiosos de São Francisco e de outras ordens sobre o desenvolvimento de modernas civilizações cristãs, especialmente das hispânicas nos trópicos. Salvador: Aguiar Souza, 1959.

FREYRE, Gilberto. Anísio Teixeira: um depoimento. In.: AZEVEDO, Fernando et ali. Anísio Teixeira: pensamento e ação. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1960, p. 118-125.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. São Paulo: Global, 2005.

FREYRE, Gilberto. “Intelligentsia” e desenvolvimento nacional no Brasil. Educação e Ciências Sociais. Ano VII, v. 10, n. 21, 1962.

FREYRE, Gilberto. Interpretação do Brasil: aspectos da formação social brasileira como processo de amalgamento de raças e culturas. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

FREYRE, Gilberto. O estudo das ciências sociais nas universidades americanas. Recife: Edições Momento, 1934.

FREYRE, Gilberto. Ordem & progresso: processo de desintegração das sociedades patriarcal e semipatriarcal no Brasil sob o regime de trabalho livre: aspectos de um quase meio-século de transição do trabalho escravo para o trabalho livre; e da monarquia para a república. São Paulo: Global, 2004.

FREYRE, Gilberto. Palavras Repatriadas. Brasília: Editora da Unb, 2003.

FREYRE, Gilberto. Problemas brasileiros de antropologia. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1973.

FREYRE, Gilberto. Sobrados & mucambos: decadência do patriarcado e desenvolvimento do urbano. Global: São Paulo, 2006.

LARRETA, Enrique Rrodríguez; GIUCCI, Guillermo. Gilberto Freyre: uma biografia intelectual. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

LIEDKE FILHO, Enno Dagoberto. A sociologia no Brasil: história, teorias e desafios. Sociologias, Porto Alegre, v. 7, n. 14, p. 376-436, 2005.

MANNHEIM, Karl. A educação como técnica social. In: PEREIRA, Luiz; FORACCHI, Marialice M (orgs.). Educação e Sociedade. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1971, p. 88-90.MANNHEIM, Karl. Ideologia e Utopia. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1976.

MARTINS, Carlos Benedito; WEBER, Silke. Sociologia da educação: democratização e cidadania. In: MARTINS, Carlos Benedito; MARTINS, Heloisa H. T. S. Horizontes das ciências sociais no Brasil: sociologia. São Paulo: ANPOCS, 2010. p. 131-201

MAZZA, Débora. A produção sociológica de Florestan Fernandes e a problemática educacional: uma leitura (1941-1964). 1997. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas-SP, 1997.

MELO, Manuel P. da Cunha. Quem explica o Brasil. Juiz de Fora: Editora da Universidade Federal de Juiz de Fora, 1999.

MEUCCI, Simone. Gilberto Freyre e a sociologia no Brasil: da sistematização à constituição do campo científico. 2006. Tese (Doutorado em Sociologia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas-SP, 2006.

MEUCCI, Simone. Gilberto Freyre e o tema da educação: o Centro Regional de Pesquisas Educacionais do Recife. In: 36º Encontro Anual da ANPOCS, 2012, Águas de Lindóia. Disponível em <http://portal.anpocs.org/portal/index.php?option=com_docman&task=doc_view&gid=8160 &Itemid=217>. Acesso em: 23 maio, 2014.

MEUCCI, Simone. Institucionalização da sociologia no Brasil: primeiros manuais e cursos. São Paulo: Hucitec; FAPESP, 2011.

MICELI, Sergio. Condicionantes do desenvolvimento das ciências sociais. In: MICELI, Sergio(org.). História das ciências sociais no Brasil Vol. 1. São Paulo: Editora Vértice/IDESP/FINEP, 1989. p. 72-110.

MOTTA, Roberto. Élide, Gilberto, Imagismo e Língua de Universidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 24, n. 69, p. 185-206, 2009.

MOTTA, Roberto. Gilberto Freyre, René Ribeiro e o Projeto UNESCO. In: PEREIRA, Cláudio; SANSONE, Lívio (org.). Projeto UNESCO no Brasil: textos críticos. Salvador: Edufba, 2007, p. 38-60.

MOTTA, Roberto. Paradigmas de Interpretação das Relações Raciais no Brasil. Estudos Afro-Asiáticos, s/v, n 38, p. 113-134, 2000.

MOTTA, Roberto. Reação a Max Weber no pensamento brasileiro: o caso de Gilberto Freyre. Estudos de Sociologia, v. 13, n. 1, p. 185-206, 2008.

NAGLE, Jorge. Educação e sociedade na Primeira República. São Paulo: EDUSP, 1974.

NEVES, Clarissa Baeta E. Estudos sociológicos sobre educação no Brasil. In: MICELI, Sergio (org.). O que ler na ciência social brasileira: 1970-2002 (Sociologia). São Paulo: Editora Sumaré/ANPOCS, 2002, p. 351-437.

NOGUEIRA, Maria Alice. A Sociologia da Educação do final dos anos 60/ início dos anos 70: o nascimento do paradigma da reprodução. Em Aberto, v. 46, n.46, p. 49-58, 1990.

OLIVEIRA, Amurabi. Revisitando a história do ensino de sociologia na Educação Básica. Acta Scientiarum. Education, v. 35, n 2, p. 179-189, 2013a.

OLIVEIRA, Amurabi. Sociologie de l’éducation au Brésil: tendances historiques et contemporaines. Incursions, s/v, n 8, p. 75-93, 2013b.

PALLARES-BURKE, Maria Lúcia; BURKE, Peter. Repensando os trópicos: um retrato intelectual de Gilberto Freyre. São Paulo: Editora UNESP, 2009.

SANTOS, Mário Bispo. A Sociologia no contexto das reformas do Ensino Médio. In: CARVALHO, L. M. G. de. (org.). Sociologia e ensino em debate: experiências e discussão de sociologia no ensino médio. Ijuí: Ed. Unijuí, 2004. p. 131-180.

SAVIANI, Dermeval. Escola e democracia. Campinas-SP: Autores Associados, 2009.

SILVA, Graziella Moraes Dias da. Sociologia da sociologia da educação: caminhos e desafios de uma policy science no Brasil (1920-1979). Bragança Paulista-SP: Editora da Universidade São Francisco ? EDUSF, 2002.

SILVA, Tomaz Tadeu. O que produz e o que reproduz em educação: ensaios de sociologia da educação. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992.

SOARES, Eliane Veras. Florestan Fernandes o militante solitário. São Paulo: Cortez Editora, 1997.

XAVIER, Libânia Nacif. Para além do campo educacional: um estudo sobre o Manifesto dos pioneiros da educação nova (1932). Bragança Paulista-SP: Edusf, 2002.

Publicado
2016-01-20