O Ofício de Ensinar para Iniciantes: contribuições ao modo sociológico de pensar

  • Irlys Alencar Firmo Barreira Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Ceará.
Palavras-chave: Ensino, Sociologia, Modo de Pensar, Teoria

Resumo

Somando-se aos esforços coletivos de profissionais da área de sociologia, atualmente voltados para o estabelecimento sério e criterioso da transmissão da matéria no Ensino Médio, o artigo busca contribuir para uma reflexão sobre conteúdos temáticos e pedagógicos, priorizando o que poderia ser designado por “modo sociológico de pensar”. Este, baseado no uso de conceitos como ferramenta de interpretação e ruptura com as formas previamente construídas de explicação acerca do funcionamento da vida social, considera também que conhecimentos básicos de sociologia poderão, futuramente, orientar ou influenciar não só uma escolha profissional na própria área, mas também embasar outras profissões carentes de uma visão ampla dos mecanismos que orientam as práticas sociais. 

Biografia do Autor

Irlys Alencar Firmo Barreira, Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Ceará.
É professora Titular de Sociologia do PPGS da UFC, pesquisadora 1 B do CNPq e líder do Grupo de Pesquisa Lideranças, representações e práticas políticas do Diretório de Pesquisa do CNPq. Tem doutorado na USP e Pósdoutorado na École des Hautes Études en Sciences Sociales (Paris) e no Instituto de Cências Sociais ICS da Universidade de Lisboa. Tem como campo de investigação experiência nas áreas de Sociologia, com interfaces nas áreas de antropologia e política, atuando principalmente nos seguintes temas: cidade, política, cultura, gênero e movimentos sociais. Orientou 33 dissertações de mestrado e 25 teses de doutorado. Além de vários artigos enfocando as relações entre cultura e política é autora dos livros O Reverso das Vitrines: Conflitos Urbanos e Cultura Política (ed. Rio Fundo, 1992) Chuva de papéis, ritos e símbolos de campanha eleitoral no Brasil (Relume Dumará, 1998). Imagens ritualizadas, apresentação de mulheres em cenários políticos (editora Pontes, 2008). Cidades narradas: memória, representações e práticas de turismo (editora Pontes, 2012). Participou como consultora e representante em várias Instituições acadêmicas como Capes (representante de área nos períodos (2002-2004) e (2006-2010), CNPq (representante de área no período 2000-2002), FUNCAP- Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (representantes na Câmara de Ciências Sociais, 2009-2010). Foi diretora da Anpocs (1993-1994) e participou de vários comitês dessa instituição. Foi Presidente da Sociedade Brasileira de Sociologia.

Referências

BARREIRA, Irlys. “O lugar do indivíduo na sociologia: sob o prisma da liberdade e dos constrangimentos sociais”. In: Revista de Ciências Sociais, Fortaleza, vol. 34, p. 51-63. 2003.

BOURDIEU, Pierre. O senso prático. Coleção Sociologia. Petrópolis-RJ: Vozes, 2009.

CHAMPAGNE, Patrick, LENOIR Rémiet alli. Iniciação à prática sociológica. Petrópolis-RJ: Vozes, 1998.

COHN, Gabriel (org.). Weber. São Paulo: Ática, 1991.

DA MATTA, Roberto. Carnavais, malandros e heróis. Rio de Janeiro: Zahar, 1983.

DUMONT, Louis. O individualismo: uma perspectiva antropológica da ideologia moderna. Rio de Janeiro: Rocco, 1985.

DURKHEIM, Emile. As formas elementares da vida religiosa. São Paulo: Edições Paulinas, 1989.

ELIAS, Norbert. Introdução à sociologia. Lisboa: Edições 70, Lda, 1999.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador: uma história dos costumes, volumes 1 e 2. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editores, 1969.

FIORELLI, Ileizi. “A sociologia no ensino médio: os desafios institucionais e epistemológicos para a consolidação da disciplina”, in revista Cronos, vol. 8 n. 2 jul, dez de 2000, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Natal, p. 403-427.

FORACCHI, M. e MARTINS, José de Souza. Sociologia e sociedade. São Paulo: LTC editora, 1994.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis-RJ: Vozes, 1985.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada, Petrópolis: Zahar Editores, 1985.

GOFFMAN, Erving. Ritual de interação. Petrópolis-RJ: Vozes, 2011.

IANNI, Octávio (org.). Marx. São Paulo: Ática, 1979.

JODELET, Denise (org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: Editora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), 2001. Capítulos 1, 2 e 4.

MARTINS, Heloisa. Entrevista revista Coletiva, jan, fev, mar e abril, Recife: Fundação Joaquim Nabuco, 2013.

MARTINS, José de Souza. Entrevista concedida ao jornal Estado de São Paulo, 10 de fevereiro de 2008.

MAUSS, Marcel. Ensaios de sociologia. São Paulo: Perspectiva, 1981.

MEUCCI, Simone. “Sobre a rotinização da sociologia no Brasil: os primeiros manuais didáticos, seus autores, suas expectativas”. Mediações, Londrina, vol. 12, n.1, p. 31-66, jan/jun. 2007.

MILLS, Wirght. A imaginação sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1982.

MORAES, César Amauri. “Licenciatura em ciencias sociais e ensino de sociologia: entre o balanço e o relato”. In revista Tempo Social, São Paulo, 2003, FFLCH–USP, p. 5-17.

RODRIGUES, José Albertino (org.). Durkheim. São Paulo: Ática, 1988.

SIMMEL, Georg. Sociologia 2: estudios sobre las formas de socioalización. Madrid: Alianza Universidad, 1977.

SCHRIJNEMAEKERS, Stella Christina; PIMENTA, Melissa de Mattos. “Sociologia no ensino médio:escrevendo cadernos para o Projeto São Paulo faz Escola, in Cadernos CEDES, vol. 31, nº 85, Campinas-SP, 2011.

SENNETT, Richard. O ártifice. Rio de Janeiro: Record, 2012.vol. 12, n.1, p. 31-66, jan/jun. 2007.

Publicado
2016-01-21