Envelhecimento e trabalho na perspectiva dos trabalhadores:

uma revisão integrativa

  • Doralice Soares Barbosa Abe Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)
  • Gabriela Cunha Fialho Cantarelli Bastos Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)
  • Ivone Félix de Sousa Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)
  • Rogério José de Almeida Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)
Palavras-chave: Ambiente de trabalho, Envelhecimento, Saúde do trabalhador

Resumo

Uma importante transformação advinda das mudanças na pirâmide etária se refere às relações de trabalho. O envelhecimento relacionado ao trabalho é um processo que pode tanto influenciar, como ser influenciado pela relação estabelecida na vida em sociedade entre o sujeito e seu trabalho. O presente artigo tem por objetivo analisar o fenômeno do envelhecimento e a vida laboral dos indivíduos, entendendo essa relação como um processo heterogêneo, peculiar e adaptativo, influenciado pelas vivências, os contextos sociais, os estilos de vida e as particularidades de cada indivíduo. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura científica, em que foram utilizadas para a coleta dos dados as bases de dados: PubMed e Biblioteca Virtual da Saúde. Os critérios de inclusão aplicados foram: artigos originais, período de publicação compreendido entre 2015 e 2019, idiomas inglês, português e espanhol. A amostra final desta revisão foi constituída por cinco artigos científicos, sendo duas pesquisas realizadas no Brasil, uma na Espanha, uma na Holanda e outra nos Estados Unidos da América. As evidências mostraram que, com o avanço da idade a capacidade laborativa pode ser influenciada pela perda funcional a que está sujeito todo ser vivo. Foram evidenciados ainda aspectos positivos do envelhecimento que favorecem o desempenho das atividades, como a obtenção de conhecimento e maturidade aliado ao estabelecimento de vínculos.

Biografia do Autor

Doralice Soares Barbosa Abe, Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)

Graduada em Serviço Social. Especialista em Geronotologia pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)

Gabriela Cunha Fialho Cantarelli Bastos, Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)

Médica Geriatra. Membro Titular da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG) e Associação Médica Brasileira (AMB). Professora do Departamento de Medicina da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Preceptora do Internato em Geriatria da PUC-Goiás. Graduada em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Especialista em Geriatria pelo Hospital de Urgências de Goiânia. Especialista em Clínica Médica pelo Hospital Geral de Goiânia. Especialista em Docência do Ensino Superior pela Faculdade da Academia Brasileira de Educação e Cultura. Líder de Grupos Balint.

Ivone Félix de Sousa, Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Católica de Goiás (2001) e mestrado em Psicologia pela Universidade Católica de Goiás (2006). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Organizacional e do Trabalho, Psicometria, Psicodiagnóstico e Gerontologia Social. Atua principalmente nos seguintes temas: psicologia social, pesquisas institucionais, consultoria, cultura e clima organizacional, diagnóstico institucional, justiça nas organizações, valores humanos, recrutamento, seleção e treinamento de pessoal, avaliação de desempenho, saúde ocupacional (estresse e burnout), psicodiagnóstico adulto e criança, personalidade, psicologia jurídica, psicometria, técnicas projetivas, Assessoria no Programa de Gerontologia Social.

Rogério José de Almeida, Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)

Possui Graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Goiás, Mestrado em Sociologia pela Universidade Federal de Goiás, Doutorado em Sociologia pela Universidade de Brasília e, atualmente, Pós-Doutorando em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Goiás. Professor Adjunto do Curso de Medicina da PUC Goiás e do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Saúde - PPGCAS da PUC Goiás. Coordenador do Comitê de Ética em Pesquisa - CEP/PUC Goiás. Professor Adjunto e Coordenador de Pesquisa e Extensão da Faculdade da Política Militar - FPM. Autor do livro Gastroplastia e a Reconstrução da Identidade e organizador do livro Goiás e a (Pós) Modernidade: Dimensões e Reflexões. Tem experiência na área de Sociologia, Antropologia e Metodologias Ativas, com ênfase em Sociologia da Cultura, Sociologia da Medicina, Sociologia da Saúde e do Corpo e Saúde Coletiva, atuando principalmente na linha de pesquisa Sociedade, Ambiente e Saúde e com temas que fazem interseções entre as Ciências Sociais e os processos saúde-doença.

Referências

CAMARANO, A. A. Empregabilidade do trabalhador mais velho e reforma da previdência. Nota Técnica IPEA, 61, p. 23-32, São Paulo: IPEA, 2016.

CERQUEIRA, L. L. Trabalho, qualidade de vida e aposentadoria: uma análise evolutiva dos conceitos e das relações que se constroem em torno delas. Revista Científica Unirb Faculdade Regional da Bahia, v. 3, n. 4, 2012.

KNAPPE, M. F. L. et al. Envelhecimento bem sucedido em idosos longevos: revisão integrativa. Geriatrics, Gerontology and Aging, v. 9, n. 2, p. 66-70, 2015.

MACIEL, P. C. S.; MANHÃES, F. C.; GUIMARÃES, D. N. Educação tecnológica continuada: aspectos cognitivos na terceira idade. In: MANHÃES, F. C.; ISTOE, R. S. C.; SOUZA, C. H. M. (orgs). Envelhecimento em foco: abordagens interdisciplinares I. Rio de Janeiro: Brasil Multicultural, 2015. p. 60-85.

MARCOLIN, N. Alexandre Kalache: uma política para o bem-envelhecer. Revista Pesquisa FAPESP, p. 18-19, 2008. Disponível em :https://revistapesquisa.fapesp. br/wp-content/uplao ds/2008/03/14-19-Entrevista-145.pdf. Acesso em: 5 out. 2019.

MARTINEZ, M. C.; LATORRE, M. R. D. O.; FISCHER, F. M. Estressores afetando a capacidade para o trabalho em diferentes grupos etários na enfermagem: seguimento de 2 anos. Ciência & Saúde Coletiva, v. 22, n. 5, p. 1589-1600, 2017.

MENDES, K. D. S.; SILVEIRA, R. C. C. P.; GALVÃO, C. M. Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidências na saúde e na enfermagem. Texto e Contexto Enfermagem, v. 17, n. 4, p. 758-64, 2008.

MORAES, E. N. Atenção à saúde do idoso: aspectos conceituais. Brasília: Organização Pan- Americana da Saúde, 2012. p. 9.

PAGGI, M. E.; JOPP, D. S. Resultados da auto-eficácia ocupacional em trabalhadores idosos. The International Journal of Aging and Human Development, v. 80, n. 4, p. 357-378, 2015.

PAPALÉO NETTO, M. O estudo da velhice: histórico, definição do campo e termos básicos. In: FREITAS, E. V. et al. Tratado de geriatria e gerontologia. Rio de Janeiro: Guanabara Kogan, 2013, p. 71-72.

RIETHMEISTER, V. et al. Work, eat and sleep: towards a healthy ageing at work program offshore. BMC Public Health, v. 16, p. 134, 2016.

RODRIGUEZ-CIFUENTES, F.; FARFÁN, J.; TOPA, G. Older worker identity and job performance: the moderator role of subjective age and self-efficacy. International Journal of Environmental Research and Public Health, v. 15, n. 12, p. 1-13, 2018.

SATO, A. T. et al. Processo de envelhecimento e trabalho: estudo de caso no setor de engenharia de manutenção de um hospital público do município de São Paulo, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 33, n. 10, e00140316, 2017.
Publicado
2020-12-28
Como Citar
ABE, D. S. B.; BASTOS, G. C. F. C.; SOUSA, I. F. DE; ALMEIDA, R. J. DE. Envelhecimento e trabalho na perspectiva dos trabalhadores:. Revista Labor, v. 2, n. 24, p. 570-581, 28 dez. 2020.
Seção
Artigos