A função social dos Institutos Federais de Educação:

um estudo sobre as ações de Pesquisa e Extensão do IFMG Santa Luzia

  • Carla da Silva Bastos Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG), Campus Santa Luzia
  • Geisy Anny Venâncio Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG), Campus Santa Luzia)
  • Niltom Vieira Junior Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG), Campus Arcos
Palavras-chave: Rede Federal de Educação Tecnológica. Função social. Integração Ensino-Pesquisa-Extensão. Docente.

Resumo

O presente artigo visa evidenciar a importância da Pesquisa e da Extensão para o alcance da função social dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs) e o seu impacto no desenvolvimento local e regional da cidade de Santa Luzia-MG. Para tanto, optou-se por seguir uma abordagem descritiva, de caráter quali-quantitativo, tendo como base, sobretudo, a pesquisa documental, com constante apoio da pesquisa bibliográfica. Os resultados alcançados apontam que se faz necessário repensar as ações de Pesquisa e Extensão para que a função social dos IFs seja amplamente exercida, junto às atividades de Ensino.

Biografia do Autor

Carla da Silva Bastos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG), Campus Santa Luzia

Bacharel em Composição de Interiores pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Especialista em Promoção de Espaços Saudáveis e Sustentáveis pela Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) e Mestre em Arquitetura e Urbanismo na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), na linha de pesquisa Projeto de Arquitetura. Professora EBTT efetiva no IFMG, Campus Santa Luzia, atuando nos cursos de Design de Interiores e Técnico Subsequente em Paisagismo. Atuou como professora assistente do curso de Arquitetura e Urbanismo no Centro Universitário Anhanguera de Niterói (UNIAN), instrutora no curso técnico de Design de Interiores no SENAC-RJ e professora substituta no Departamento de Artes e Representação da Escola de Belas Artes - UFRJ. Possui experiência como Designer de Interiores no desenvolvimento de projetos e consultorias técnicas para ambientes residenciais, comerciais e corporativos.

Geisy Anny Venâncio, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG), Campus Santa Luzia)

Professora efetiva do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM), Campus Manaus - Distrito Industrial, desde 2014. Atuou no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG), Campus Santa Luzia, em regime de Colaboração Técnica, de maio/2018 à agosto/2020. Mestre em Design pelo Programa de Pós-Graduação em Design da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Especialista em Planejamento, Implementação e Gestão da EaD, pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Especialista em Educação a Distância, com habilitação em Tecnologias Educacionais, pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná (IFPR). Especialista em Design Instrucional para EaD Virtual pela Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI). Bacharel em Desenho Industrial com habilitação em Projeto do Produto, pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Linhas de pesquisa: educação, Educação a Distância (EaD), ensino, tecnologias na educação, design instrucional, design, território.

Niltom Vieira Junior, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais (IFMG), Campus Arcos

Realizou pós-doutorado em informática pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (Campus São Gabriel). Possui doutorado e mestrado em engenharia elétrica pela Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (Campus Ilha Solteira), bacharelado em engenharia elétrica pelo Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos, licenciatura em matemática e física pela Faculdade Capixaba da Serra e habilitação para o magistério pelo Centro Específico de Formação e Aperfeiçoamento do Magistério (Unidade Barretos). É professor efetivo do Instituto Federal de Minas Gerais (Campus Arcos) e, atualmente, ocupa o cargo de Diretor de Extensão (Reitoria). No campus já ocupou as funções de Coordenador da Pós-graduação em Docência, Diretor de Ensino, Chefe do Departamento de Ciências Aplicadas e Coordenador do curso de Engenharia Mecânica. Atua também no IFMG Ouro Branco como docente no Curso de Mestrado em Educação Profissional e Tecnológica. Coordenou, entre 2010 e 2012, projeto de cooperação internacional (Brasil-França) em educação profissional e tecnológica na área da indústria eletroeletrônica (financiado pelo MEC/SETEC). Coordenou, 2011/2013 e 2014/2017, a gestão educacional do PIBID, Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência (financiado pela CAPES). Recebeu em 2013 dois prêmios Mercosul de Ciência e Tecnologia por pesquisas voltadas à educação em ciências (conferido pelo CNPq). Desenvolve pesquisas, principalmente, nas áreas de educação em engenharia, ensino de ciências e matemática, informática na educação, educação a distância e desenvolvimento cognitivo. É membro do BASis do INEP/MEC como avaliador de cursos superiores presenciais e a distância.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. Tradução: Luís Antero Reto e Augusto Pinheiro. Lisboa: Edições 70, 2002.
BRASIL. Lei n° 10.861, de 14 de abril de 2004. Institui o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior – SINAES e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, 15 abr. 2004.
BRASIL. Lei n° 11.892, de 28 de dezembro de 2008. Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, e dá outras providências. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, ano 253, p. 1-3, 30 dez. 2008.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. Um novo modelo em Educação Profissional e Tecnológica: concepção e diretrizes. Brasília, DF: Ministério da Educação, 2010.
BRASIL. Portaria n° 246, 15 de abril de 2016. Dispõe sobre a criação do modelo de dimensionamento de cargos efetivos, cargos de direção e funções gratificadas e comissionadas, no âmbito dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, dos Centros Federais de Educação Tecnológica e do Colégio Pedro II, e define normas e parâmetros para a sua implementação. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 89, p. 30-37, 11 maio 2016.
BOISIER, Sergio. Desarrollo (local):¿ De qué estamos hablando?. In: VÁSQUEZ BARQUERO, Antonio; MADOERY, Oscar (ed.). Transformaciones globales, instituciones y políticas de desarrollo local. Rosario: Homo Sapiens, 2001.
BUARQUE, Sérgio C. Construindo o desenvolvimento local sustentável: metodologia de planejamento. 4. ed. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.
DALLABRIDA, Valdir Roque. Desenvolvimento Regional: por que algumas regiões se desenvolvem e outras não? Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2010.
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA (Minas Gerais). Resolução nº 56 de 01 de dezembro de 2017. Dispõe sobre a aprovação do Regulamento para Normatização da Atividade Acadêmica dos Docentes da Carreira do Magistério do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico do IFMG. Belo Horizonte: CONSUP, 2017.
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA (Minas Gerais). Resolução nº 14 de 15 de junho de 2016. Dispõe sobre alteração do Estatuto do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais – IFMG. Belo Horizonte: CONSUP, 2016.
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA (Santa Luzia-MG). Relatório da Comissão Própria de Avaliação - (CPA) Local 2018. Fevereiro de 2019. Santa Luzia-MG: IFMG-SL, 2019.
MACHADO, Lucília Regina de Souza. Organização da educação profissional e tecnológica por eixos tecnológicos. Linhas Críticas, v. 16, n. 30, p. 1-22, 2010.
MAGAGNIN, Renata Cardoso; SILVA, Antônio Nélson Rodrigues da. A percepção do especialista sobre o tema mobilidade urbana. Transportes, v. 16, n. 1, p. 25-35, 2008.
PACHECO, Eliezer Moreira. Os Institutos Federais: uma revolução na Educação Profissional e Tecnológica. Natal: IFRN, 2010.
PACHECO, Eliezer Moreira; MORIGI, Valter (org.). Ensino técnico, formação profissional e cidadania: a revolução da educação profissional e tecnológica no Brasil. Porto Alegre: Tekne, 2012.
SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA (Brasil). Portaria nº 17, de 11 de maio de 2016. Estabelece diretrizes gerais para a regulamentação das atividades docentes, no âmbito da Rede Federal de Educação Profissional,Científica e Tecnológica. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 91, p. 50, 13 maio 2016.
Publicado
2020-12-21
Como Citar
BASTOS, C. DA S.; VENÂNCIO, G. A.; VIEIRA JUNIOR, N. A função social dos Institutos Federais de Educação:. Revista Labor, v. 2, n. 24, p. 252-278, 21 dez. 2020.
Seção
Dossiê